Busca avançada
Ano de início
Entree

Biomarcadores de responsividade do consumo máximo de oxigênio ao treinamento aeróbio: uma abordagem metabolômica

Processo: 18/24108-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2018
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Educação Física
Pesquisador responsável:Mara Patricia Traina Chacon Mikahil
Beneficiário:Alex Castro
Instituição-sede: Faculdade de Educação Física (FEF). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/05741-7 - Biomarcadores de responsividade do consumo máximo de oxigênio ao treinamento aeróbio: uma abordagem metabolômica, AP.R
Assunto(s):Metabolômica   Biomarcadores   Fisiologia do exercício   Aptidão cardiorrespiratória   Consumo de oxigênio   Metabólitos   Músculo esquelético

Resumo

A aptidão cardiorrespiratória (ACR) está associada positivamente à manutenção e melhora da saúde. No entanto, apesar do treinamento aeróbio regular ser recomendado para a melhora da ACR, as respostas interindividuais da ACR a doses padronizadas de exercício são amplamente heterogênias. Neste sentido, investigar os determinantes moleculares associados à treinabilidade da ACR tem o potencial para gerar novos biomarcadores e clarificar a biologia das adaptações inerentes a diferentes formas de treinamento físico. Portanto, o objetivo central deste estudo será investigar metabólitos séricos e músculo esqueléticos associados à treinabilidade da ACR, aferida pela máxima potência produzida (MPP) e consumo máximo de oxigênio durante teste incremental máximo, em resposta a 8 semanas de treinamento aeróbio contínuo (TAC) e treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT), equiparados pela mesma quantidade total de exercícios realizados. Para isto, três estudos foram realizados. Estudo 1 - Objetivo: investigar a associação entre o perfil metabolômico sérico e músculo esquelético basal com a ACR intrínseca. Estudo transversal, no qual 70 homens sedentários saudáveis (18-30 anos) foram divididos em dois grupos baseados no 1º e 3º tercil da distribuição dos valores da ACR. Amostras se sangue e tecido muscular (vasto lateral) foram coletadas em repouso seguidas por teste incremental máximo após 72 h. Estudo 2 - Objetivo: investigar o perfil metabolômico sérico e músculo esquelético basal associado à treinabilidade da ACR (ACR adquirida) em resposta ao TAC e HIIT. Estudo 3 - Objetivo: investigar as mudanças no perfil metabolômico sérico e músculo esquelético associadas à treinabilidade da ACR (ACR adquirida) em resposta ao TAC e HIIT. Os Estudos 2 e 3 foram longitudinais, randomizados e controlados. Setenta participantes completaram 8 semanas de intervenção nos grupos: TAC (40 min/dia, a 70-75% da FCr, 3-4 vezes/semana, n = 30), HIIT [40 min, sendo 5 min a 50-60% da FCr + 5 x (4 min a 90 % da FCr:3 min a 50-60% da FCr), 3-4 vezes/semana, n = 30] ou grupo controle (sem exercícios, n = 10). Amostras de sangue e tecido muscular (vasto lateral), assim como, mensuração da ACR foram obtidos Pré e Pós intervenção. Para todos os estudos, as amostras de sangue e tecido muscular foram analisadas por metabolômica usando espectroscopia de Ressonância Magnética Nuclear de Prótons. Para todos os estudos a associação entre o perfil metabólico e ACR (adquirida e intrínseca) será explorada, via três estratégias analíticas: (1) identificação de correlações entre concentrações basais dos metabólitos com ACR adquirida e intrínseca; (2) diferenças nas concentrações basais dos metabólitos entre subgrupos de indivíduos que apresentaram maior e menor magnitude na ACR adquirida e intrínseca (baseados no 1º e 3º tercil da distribuição dos valores da ACR); e (3) contribuição individual do metabólito em vias metabólicas significativas associadas à ACR adquirida e intrínseca. Os metabólitos suportados por estes três níveis de evidência foram sugeridos como candidatos a biomarcadores da ACR intrínseca e adquirida. O nível de significância será 1% ou taxa de falsa descoberta de 0,1.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CASTRO, ALEX; DUFT, RENATA GARBELLINI; VENTURINI FERREIRA, MARINA LIVIA; LUGNANI DE ANDRADE, ANDRE LUIS; GASPARI, ARTHUR FERNANDES; SILVA, LUCAS DE MARCHI; GABRIEL DE OLIVEIRA-NUNES, SILAS; CAVAGLIERI, CLAUDIA REGINA; GHOSH, SUJOY; BOUCHARD, CLAUDE; TRAINA CHACON-MIKAHIL, MARA PATRICIA. Association of skeletal muscle and serum metabolites with maximum power output gains in response to continuous endurance or high-intensity interval training programs: The TIMES study - A randomized controlled trial. PLoS One, v. 14, n. 2 FEB 11 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.