Busca avançada
Ano de início
Entree

Relações tróficas com camarões Penaeoidea e fauna acompanhante pescados no litoral de Ubatuba, São Paulo

Processo: 18/14093-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Zoologia Aplicada
Pesquisador responsável:Antonio Leão Castilho
Beneficiário:Giovanna Mielli Galli
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Decapoda   Camarão   Isótopos estáveis   Pesca   Pesca exploratória   Exploração de recursos naturais   Degradação ambiental

Resumo

A pesca de arrasto é uma das principais atividades comerciais existentes na região de Ubatuba, e ela possui como espécies-alvo o camarão-rosa (Farfantepenaeus brasiliensis e F. paulensis) e o camarão sete-barbas (X. kroyeri). Como esse tipo de pesca é não seletiva, além das espécies-alvo, são coletados outros indivíduos os quais possuem um valor econômico acessório ou nulo, os quais são chamados de fauna acompanhante ou bycatch. Dessa forma, com a preocupação crescente dos possíveis impactos que essa pesca pode causar no ambiente bentônico, foram feitos estudos e neles foram comprovados, que a sua grande exploração provoca degradação ambiental no habitat onde animais invertebrados e vertebrados realizam o seu ciclo de vida. Com isso, o objetivo do projeto será identificar as possíveis espécies-chave da região e entender como as cadeias tróficas estão estruturadas. O método utilizado por esse projeto será os isótopos estáveis, em que a partir deles, conseguimos obter informações sobre o nível trófico dos animais e consequentemente, sobre as relações tróficas presentes no ecossistema. Com isso, para as análises isotópicas serão utilizados os ´13C e ´15N e o pacote SIAR (software R) será utilizado para a identificação do nível trófico e da teia trófica coletada na pesca de arrasto. (AU)