Busca avançada
Ano de início
Entree

O papel do fator tecidual na hipercoagulabilidade da SAF

Processo: 18/24577-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2018
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Joyce Maria Annichino-Bizzacchi
Beneficiário:Ana Paula Rosa dos Santos
Instituição-sede: Centro de Hematologia e Hemoterapia (HEMOCENTRO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/14172-6 - Investigação de aspectos fisiopatológicos e novas abordagens terapêuticas em doenças tromboembólicas, AP.TEM
Assunto(s):Micropartículas   Coagulação sanguínea   Fatores de coagulação sanguínea   Tromboplastina   Trombose

Resumo

O FT é responsável pelo início da cascata da coagulação. Quando exposto pelas células subendoteliais, o FT se liga ao fator (F) VII circulante e o ativa. O complexo FT-FVIIa é responsável pela ativação dos fatores IX e X, e este último levará à geração de pequenas quantidades de trombina. Além das células endoteliais, o FT também é expresso pelas plaquetas e monócitos. Supõe-se que os anticorpos antifosfolípides, ou o complexo formado entre esses anticorpos e a B2GPI aderida à superfície lipídica da membrana celular, poderiam levar a ativação de plaquetas, monócitos e células endoteliais, induzindo, desta forma, a expressão de proteínas de adesão e do FT. A ativação dessas células aparentemente perpetuaria o estado pró-trombótico na SAF. O objetivo deste estudo é determinar a associação entre a expressão de FT e as características da trombose pacientes com SAF em comparação a controles pareados por sexo e idade. Serão avaliados 130 pacientes com SAF primária ou secundária e 130 controles pareados por sexo e idade. As características avaliadas da trombose serão: se o evento foi espontâneo ou provocado, no leito arterial ou venoso, e se houve recidiva da trombose. Os ensaios laboratoriais de FT utilizados serão a dosagem do FT circulante, a quantificação de micropartículas de monócitos, células endoteliais e plaquetas que expressam FT, e sua expressão gênica. Esses resultados poderão contribuir para o conhecimento sobre a relação entre o FT e a clínica trombótica na SAF.