Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel dos endocanabinóides na modulação de células de papila apical: estudo in vitro

Processo: 18/21869-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 04 de março de 2019
Vigência (Término): 03 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Pesquisador responsável:Carla Renata Sipert
Beneficiário:Claudia Caroline Bosio Meneses
Supervisor no Exterior: Anibal Roberto Diogenes
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Texas Health Science Center at San Antonio (UTHSCSA), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:17/01737-8 - Papel de endocanabinóides na modulação de células de papila apical humana in vitro, BP.DR
Assunto(s):Endocanabinoides   Imunidade inata   Mediadores da inflamação   Biologia celular

Resumo

A papila apical desempenha um importante papel na formação das raízes durante o desenvolvimento dentário, atuando como fonte de células-tronco que se diferenciam em células responsáveis pela síntese de dentina, os odontoblastos. A inflamação pulpar em dentes imaturos, resultante de cáries ou trauma, pode levar à necrose e à interrupção da formação das raízes. Entre os mediadores inflamatórios potencialmente envolvidos nesse processo, os endocanabinóides (ECbs) anandamida (AEA) e 2-araquidonoilglicerol (2-AG) podem afetar o comportamento das células da papila apical. Portanto, o objetivo deste estudo é investigar o papel dos ECbs nos mecanismos moleculares mediados pelo receptor potencial transitório vanilóide tipo 1 (TRPV1), envolvido nas alterações fenotípicas e funcionais das células da papila apical in vitro. Cultura de células-tronco da papila apical (SCAP) serão utilizadas entre a 3ª e a 5ª passagem. As células serão pré-tratadas com capsazepina (um antagonista de TRPV1), seguido de estimulação com AEA, 2-AG ou LPS por 1, 3, 7 e 14 dias. Logo após, as células serão submetidas a ensaio de viabilidade, determinação de citocinas e quimiocinas por ELISA, vermelho de Alizarina para análise de deposição de cálcio e RT-qPCR para determinação do perfil de diferenciação celular. Para a análise estatística será utilizada análise de variância unidirecional (ANOVA), seguida de pós-teste de Tukey ou teste t de Student. Valores significativos serão definidos em p <0,05.