Busca avançada
Ano de início
Entree

Controle dos espelhos primários do telecópio GMT sujeitos à incertezas nas funções de influência dos atuadores

Processo: 18/20743-1
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 15 de fevereiro de 2019
Vigência (Término): 14 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Astronomia - Instrumentação Astronômica
Pesquisador responsável:Rodrigo Alvite Romano
Beneficiário:Rodrigo Alvite Romano
Anfitrião: Rodolphe Conan
Instituição-sede: Escola de Engenharia Mauá (EEM). Instituto Mauá de Tecnologia. São Caetano do Sul, SP, Brasil
Local de pesquisa : Giant Magellan Telescope Organization Corporation, Pasadena (GMTO Corporation), Estados Unidos  
Vinculado ao auxílio:11/51680-6 - Explorando o universo: da formação de galáxias aos planetas tipo-terra, com o Telescópio Gigante Magellan, AP.ESP

Resumo

O Giant Magellan Telescope Organization (GMTO) está projetando e construindo um telescópio terrestre com mais de 25 metros de diâmetro. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) é membro fundador do consórcio GMTO. Este projeto representa um aumento significativo nos requisitos de complexidade e desempenho em sistemas de controle dos atuais telescópico de 8 a 10m. Não há precedentes para a configuração óptica adotada pelo GMT, que consiste em maximizar os diâmetros dos espelhos primários para usar poucos segmentos até alcançar a área de coleta desejada. Essa escolha tem vantagens sobre os projetos baseados em segmentos pequenos, mas requer o desenvolvimento de novas estratégias de controle, pois os métodos encontrados na literatura de controle para espelhos primérios de telescópios extremamente grandes (ELTs) não são aplicáveis. A presente proposta tem como seu objetivo principal o desenvolvimento de estratégias de controle por realimentação para o sistema de suporte ativo do espelho primário do GMT. O recurso solicitado é para um período sabático de um ano com a equipe de Modelagem Integrada do GMTO. Os algoritmos de controle desenvolvidos devem ser implementados em um sofisticado simulador de óptica dinâmica e avaliados quanto à qualidade da imagem adquirida em cenários realistas. Essa jornada também deve fornecer uma visão completa de todo o sistema de controle do telescópio, pois o simulador integra os principais subsistemas do telescópio.