Busca avançada
Ano de início
Entree

Expressão e atividade de Nrf2 em aorta de camundongos com resistência insulínica submetidos a restrição calórica

Processo: 17/26095-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2018
Vigência (Término): 31 de outubro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Cardiorenal
Pesquisador responsável:Rita de Cassia Aleixo Tostes Passaglia
Beneficiário:Fernanda Helena Cardoso Minelli
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/08216-2 - CPDI - Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias, AP.CEPID
Assunto(s):Diabetes mellitus   Estresse oxidativo   Obesidade

Resumo

A obesidade é uma importante causa de morbidade e mortalidade em todo o mundo e resulta no aumento da prevalência de doenças crônicas, como doença coronariana, diabetes mellitus do tipo 2 e resistência insulínica. Vários autores estudam mecanismos e intervenções capazes de melhorar o controle metabólico frente aos danos decorrentes da obesidade. A restrição calórica tem se mostrando uma ótima intervenção no combate as doenças metabólicas em diferentes espécies, de leveduras à mamíferos, mas os mecanismos envolvidos ainda precisam ser melhor explorados. A obesidade está associada a aumento da geração de espécies reativas de oxigênio (EROs), o que afeta diretamente o sistema cardiovascular. O sistema Nrf2 regula a transcrição de muitos genes antioxidantes e citoprotetores, tais como catalase, glutationa peroxidase e superóxido dismutase. A diminuição da atividade do Nrf2 contribui para aumento do estresse oxidativo e disfunção mitocondrial, o que leva à disfunção endotelial e resistência à insulina. Considerando que a geração de EROs promove disfunção vascular e que o Nrf2 é importante regulador do sistema redox, protegendo contra danos do estresse oxidativo, nossa hipótese é que a redução da ingestão alimentar por camundongos obesos regula positivamente o sistema antioxidante Nrf2, diminui o acúmulo de EROs e melhora a função vascular. Os camundongos receberão dieta controle padrão ou dieta hiperlipídica (para indução de obesidade) durante 18 semanas. Posteriormente, serão submetidos à restrição calórica, pela redução em 30% da mesma dieta durante 30 dias. A função vascular será avaliada em anéis aórticos com endotélio intacto, e alterações na via de sinalização por Nrf2, por ensaios avaliando a expressão gênica e proteica e a atividade de componentes da via do Nrf2.