Busca avançada
Ano de início
Entree

Correlação entre alodinia cutânea e o volume e espessura do lobo somatossensorial em pacientes com migrânea

Processo: 18/21066-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Débora Bevilaqua Grossi
Beneficiário:Eduardo Rocha Arruda
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/18031-5 - Estudo da associação de aspectos clínicos, funcionais e de neuroimagem em mulheres com migrânea, AP.TEM
Assunto(s):Fisioterapia   Transtornos de enxaqueca   Córtex somatossensorial   Alodinia   Inquéritos e questionários   Regressão linear

Resumo

Estudos recentes verificaram a presença de alterações corticais em pacientes com migrânea. As alterações funcionais e vasculares apresentam relação com a presença e severidade de alodinia cutânea. No entanto, ainda não foi investigada a correlação entre a alodinia cutânea e alterações estruturais corticais em pacientes com migrânea. Assim, o objetivo deste estudo será avaliar a correlação entre a severidade de alodinia cutânea e a espessura e volume do córtex somatossensorial. Serão avaliados 45 pacientes com migrânea diagnosticados por neurologistas especialistas e divididos igualmente entre os grupos: migrânea crônica, migrânea com e sem aura. Os voluntários irão responder o questionário Alodinia Symptom Checklist (ASC-12/Brazil) e serão avaliados por meio do exame ressonância magnética (RM). As imagens serão inspecionadas por um neuroradiologista cego quanto ao diagnóstico e processadas nos softwares Freesurfer e 3D-slicer. Modelos de regressão linear serão utilizados para avaliar a relação entre a alodinia cutânea e desfechos da RM. Os resultados deste estudo irão proporcionar o melhor entendimento entre as alterações estruturais da migrânea e alodinia cutânea, avançando na compreensão dos mecanismos envolvidos na sensibilização central e cronificação da migrânea.