Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da composição e da sazonalidade da vegetação ripária de Mata Atlântica no balanço hídrico do solo

Processo: 18/10105-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2019
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal
Pesquisador responsável:Silvio Frosini de Barros Ferraz
Beneficiário:Bruna Santos Lopes
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/11612-3 - Efeitos da composição e da sazonalidade da vegetação ripária de Mata Atlântica no balanço hídrico do solo, BE.EP.IC
Assunto(s):Hidrologia de floresta   Restauração florestal   Ciclo hidrológico   Balanço hídrico   Sazonalidade   Transpiração vegetal   Mata Atlântica

Resumo

O desmatamento da vegetação nativa e uso inadequado do solo causam prejuízos ao ecossistema, aumentam a erosão do solo e provocam o assoreamento de rios, com base nisso, as intervenções para restauração florestal buscam a conservação dos solos e oferta de serviços ecossistêmicos. Ainda que conhecido o efeito benéfico da vegetação arbórea ao redor dos cursos d'água, pouco se sabe do efeito da restauração florestal no regime hídrico dos corpos d'água e o consumo das árvores de diferentes espécies e portes. No contexto de planejamento destas áreas, as principais questões deste projeto são: (1) em se tratando de uma vegetação ripária localizada em área com pouca restrição hídrica, é possível ocorrer um balanço hídrico negativo do local em períodos de seca? (2) Como o acesso a água nesta região pelas árvores modifica as estimativas de evapotranspiração? (3) Como diferentes espécies se comportam e contribuem para o balanço hídrico da floresta ripária? Desta forma, o objetivo desta pesquisa será avaliar parte do ciclo hidrológico de uma vegetação nativa ripária através da quantificação dos diferentes componentes de entradas e saídas de água do sistema. Para tal, foram escolhidas cinco espécies nativas locais com cinco repetições cada, de diferentes estágios sucessionais, das quais serão coletadas as variáveis de entrada e saída do sistema: precipitação, precipitação sob dossel, escoamento de tronco e transpiração, e mensuração da evapotranspiração real.