Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise dos efeitos bioquímicos observados em espécies de macroalgas vermelhas brasileiras frente ao metal cádmio

Processo: 18/10216-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2019
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Biológica
Pesquisador responsável:Pio Colepicolo Neto
Beneficiário:Luiza de Araujo Motta
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/06931-4 - Biodiversidade e prospecção de algas de águas tropicais e da Antártica marítima, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Conservação dos recursos naturais   Macroalgas   Algas   Biorremediação   Biomarcadores   Poluentes   Paracetamol

Resumo

As algas foram e continuam sendo fundamentais para a evolução da vida terrestre, principalmente por serem importantes produtoras de O2 e matéria orgânica. Elas são responsáveis por aproximadamente metade da atividade fotossintética global. Além disso, as algas desempenham um importante papel nas transformações energéticas, na reciclagem dos nutrientes e representa a base da cadeia alimentar nos ambientes aquáticos. Em virtude dessas funções ecológicas desempenhadas pelas algas marinhas, esses organismos vêm sendo estudados para sua utilização como biorremediadores e biomarcadores ambientais, o que a atribui uma importante aplicação quanto a conservação ambiental. As macroalgas Gracilaria domingenses, Gracilaria caudata e Hypnea spinella serão cultivadas em água do mar natural (26oC) enriquecida com solução von Stoch/2 e expostas a um fotoperíodo de 14h:10h (claro:escuro). A partir curvas de crescimento obtidas no cultivo, serão elaborados ensaios toxicológicos (por 48h), para determinação do DL50 de cada poluente estudado (Cd e paracetamol) para cada espécie. Com os valores de DL50 determinados, será selecionada uma espécie de macroalga a ser coletada no ambiente costeiro, baseada na melhor capacidade de biorremediar (maior DL50) ou biomonitorar (menor DL50) os poluentes testados. As macroalgas coletadas serão analisadas quanto a sua capacidade fotossintética (através de leituras de florescência e utilizando o parâmetro de análise RQE), a produção de glutationa reduzida (GSH), oxidada (GSSG) e das fitoquelatinas (para Cd) por LC-MS, a atividade da enzima Glutationa Redutase (pela oxidação de NADPH acompanhada a 340nm) e a presença de metabólitos voláteis através do equipamento GC-MS. (AU)