Busca avançada
Ano de início
Entree

Patrimônio cultural: a construção de uma prática crítica

Processo: 17/24504-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Beatriz Mugayar Kühl
Beneficiário:Denise Fernandes Geribello
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Patrimônio cultural   Casas históricas

Resumo

Desde finais do século XIX, é possível identificar abordagens teóricas de caráter crítico no campo da preservação do patrimônio cultural. Esta pesquisa tem o intuito de refletir sobre a articulação desse campo teórico crítico com os procedimentos e agentes envolvidos na prática preservacionista contemporânea, focalizando o processo de seleção do que deve ou não ser oficialmente reconhecido como patrimônio cultural. Almeja-se explorar as possibilidades do processo de estudo de tombamento como lugar de aproximação da teoria e da prática do patrimônio, bem como dos diversos agentes envolvidos. O trabalho será desenvolvido por meio da análise do processo de estudo de tombamento em nível federal da Casa de Chico Mendes, Xapuri, AC. Esse caso será cotejado tanto com processos relacionados a outros exemplares de casas históricas preservadas no Brasil, quanto com estudos análogos em outros países. A pesquisa terá como principal fonte bibliográfica a legislação brasileira referente à preservação do patrimônio, cartas patrimoniais e documentos normativos, além de literatura multidisciplinar sobre restauro crítico e os recentes estudos críticos do patrimônio. Como resultado, pretende-se identificar possíveis instrumentos de articulação entre os diferentes agentes envolvidos na preservação do patrimônio ao longo do processo de tombamento, bem como mecanismos de aprofundamento da reflexão teórica nesse contexto. O objetivo final do trabalho é fornecer aportes teórico-metodológicos para o desenvolvimento de processos mais críticos e inclusivos de seleção do patrimônio cultural, buscando distanciamento da prática ainda recorrente de atribuição de valores pautada exclusivamente em critérios de monumentalidade.