Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da presença e estimulação do sistema nervoso simpático no periodonto

Processo: 18/21701-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 05 de agosto de 2019
Vigência (Término): 04 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Ana Lia Anbinder
Beneficiário:Renata Mendonça Moraes
Supervisor no Exterior: Florent Elefteriou
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Local de pesquisa : Baylor College of Medicine, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:17/26461-5 - Estresse e periodontite: avaliação da inervação simpática no periodonto e da influência da noradrenalina em Porphyromonas gingivalis em Galleria mellonella, BP.DR
Assunto(s):Patologia bucal   Estresse   Periodontite   Sistema nervoso simpático

Resumo

Nas últimas décadas têm-se observado a relação negativa entre o estresse e a doença periodontal. A literatura demonstra que o estresse agrava a doença periodontal pela ativação de diferentes vias, sendo uma delas a do sistema nervoso simpático (SNS) com liberação de catecolaminas. O SNS tem influência nos diversos fatores associados à patogênese da doença periodontal como resposta inflamatória do hospedeiro, nas células residentes do periodonto e nas bactérias periodontopatogênicas. Assim o objetivo deste trabalho é avaliar a presença de fibras do SNS e transportadores de norepinefrina (NET) no periodonto e a influência da estimulação do SNS na vascularização periodontal. Serão utilizados camundongos geneticamente modificados marcados pela proteína fluorescente eGFP nas fibras do SNS para descrição da presença dessas fibras ao redor dos tecidos periodontais do primeiro molar inferior. Isoproterenol (ISO-agonista ²-adrenérgico) será administrado em camundongos wild-type para estimulação do SNS para determinação do impacto do SNS na angiogenese dos tecidos periodontais, que serão avaliados por meio de histomorfometria, imunofluorescencia e expressão gênica. A presença de NET na região periodontal também será avaliada por imunofluorescência. Os dados serão submetidos à estatística apropriada.