Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise comparativa das tégminas e filogenia de Tafaliscinae sensu Desutter (Orthoptera, Grylloidea, Gryllidae) utilizando dados morfológicos e moleculares

Processo: 18/23224-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 02 de junho de 2019
Vigência (Término): 01 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Silvio Shigueo Nihei
Beneficiário:Lucas Denadai de Campos
Supervisor no Exterior: Laure Desutter-Grandcolas
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Muséum National d'Histoire Naturelle, França  
Vinculado à bolsa:17/11568-9 - Análise cladística e evolução das tégminas de grilos da subfamília Tafaliscinae sensu Desutter, 1987 (Orthoptera, Ensifera, Gryllidae), BP.DR
Assunto(s):Sistemática   Evolução animal   Asas de animais   Grilo

Resumo

Existem vários estudos utilizando grilos como modelos de estudos evolutivos, principalmente sobre especiação, comunicação acústica, modificação das tégminas e relacionamento com os habitats. Embora os grilos sejam considerados bons modelos para esse estudos, a classificação de Grylloidea passou por várias controvérsias ao longo dos anos. Filogenias recentes de níveis taxonômicos superiores como Orthoptera, Ensifera e Grylloidea tem começado a clarear esses relacionamentos. A subfamília Neotropical Tafaliscinae sensu Desutter, tradicionalmente não considerada válida, foi recentemente recuperada como monofilética baseada em uma análise filogenética com dados moleculares. Entretanto, nenhuma mudança taxonômica foi proposta para validar esse clado. Atualmente, os gêneros de Tafaliscinae estão distribuídos em diferentes tribos de Podoscirtinae (Aphonoidini e Paroecanthini). Apesar de apresentarem diferenças morfológicas, principalmente nas asas, esses grilos exclusivamente Neotropicais compartilham uma série de características originais com relação ao tamanho das pernas e ornamentação, formato do ovipositor, o qual sugere originalmente seus hábitos de vida, incluindo o modo de oviposição. A variabilidade morfológica das asas nesse grupo é notável e implica a ocorrência de vários modos de comunicação, desde a comunicação acústica comum dos grilos, até o tamborilar e várias outras maneiras de produção de sinais vibratórios. Assim sendo, essas características morfológicas e o seu comportamento pode nos ajudar a contar uma parte da história evolutiva desses grilos. Os objetivos desse projeto são examinar e comparar caracteres morfológicos com ênfase nas tégminas e complexos fálicos de espécimes de Tafaliscinae depositados nos Muséum national d'Histoire naturelle (MNHN) em Paris, França e Zoological Institute of Russian Academy of Sciences (ZIN), São Petersburgo, Rússia; obter dados moleculares de Tafaliscinae e seus grupos-externos (Podoscirtinae, Oecanthinae, Euscyrtinae Hapithinae e Gryllinae) de material preservado e disponível na coleção entomológica do MNHN, utilizando o seu laboratório de análise moleculares; incluir todos os dados obtidos em uma matriz de dados com os caracteres previamente construídos no Brasil para realizar uma análise filogenética (com dados morfológicos e moleculares) e aplicar essa análise para o estudo evolutivo das asas desses grilos, modalidade de comunicação e hábitos de vida.