Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do fluxo autofágico em resposta ao estresse celular dos tecidos musculoesquelético e adiposo em pacientes obesos com apneia obstrutiva do sono

Processo: 18/15921-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Lia Rita Azeredo Bittencourt
Beneficiário:Marcos Mônico Neto
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Metabolismo   Tecido adiposo   Autofagia   Apneia obstrutiva do sono   Obesidade

Resumo

Introdução: A apneia obstrutiva do sono (AOS) é uma doença respiratória do sono cujo principal fatorde risco é a obesidade. Alterações no perfil metabólico e inflamatório gerados pela AOS e pela obesidadetem sido apontada como responsáveis pelo aumento da incidência de comorbidades, como resistênciainsulínica e diabetes mellitus tipo 2. Nesse contexto, os tecidos adiposo e músculo esquelético sãocomponentes chaves na regulação metabólica e sensibilidade insulínica, produzindo e liberando fatoresque agem de forma autócrina, parácrina e endócrina, visando a adaptação do sistema energético emperíodos de estresse celular. A autofagia é um componente desse processo, que pode ser alterado emindivíduos obesos e potencializado em indivíduos com AOS, uma vez que a AOS potencializa o perfilpró-inflamatório induzido pela obesidade, expõe os pacientes à hipóxia intermitente durante o sono eaumenta o tono simpático, gerando maior taxa metabólica de repouso.Objetivo: Avaliar fatores de regulação metabólica e da autofagia dos tecidos adiposo visceral emusculoesquelético de indivíduos obesos portadores de diferentes níveis de gravidade de AOS, em umacondição de estresse celular induzido pelo jejum.Metodologia: A população de estudo será composta por indivíduos obesos que serão encaminhados àcirurgia bariátrica e metabólica (IMCe40 ou e35 com comorbidades associadas), sendo distribuídos em6 grupos, não apneicos, apneicos leves, apneicos moderados e apneicos graves. Haverá ainda gruposcontroles de eutróficos não apneicos e apneicos, composto por pacientes que serão encaminhados àcolecistectomia. Os indivíduos serão analisados quanto ao perfil inflamatório, massa corporal, taxametabólica de repouso e o fluxo autofágico a partir de amostras de musculoesquelético e tecido adiposocoletados na condição de jejum, no momento intra-operatório.