Busca avançada
Ano de início
Entree
Conteúdo relacionado

Mecanismos de modificações epigenéticas estimulados por oxigênio reativo (or) em células-tronco pluripotentes induzidas de bovino

Processo: 18/24520-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Fabiana Fernandes Bressan
Beneficiário:Brendon Willian Bessi
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/26818-5 - Investigação de mecanismos celulares e moleculares da aquisição da toti- e pluripotência induzida in vitro - modelo translacional, AP.JP
Assunto(s):Biotecnologia da reprodução   Epigênese genética   Células-tronco   Oxigênio   Dióxido de carbono

Resumo

As células-tronco pluripotentes induzidas (iPSCs) surgiram como uma nova biotecnologia em 2006, quando Takahashi e Yamanaka reprogramaram fibroblastos murinos usando apenas a expressão de quatros fatores exógenos: Oct4, Sox2, Klf-4 e o c-Myc (OSKM). Desde então diversas metodologias de reprogramação para geração de iPSCs foram desenvolvidas, especialmente em vias não integrativas para que a aplicação clínica fosse viabilizada. Existe ainda, porém, uma baixa taxa de eficiência nos protocolos de reprogramação celular, sendo que apenas 0,01 a 0,1% de células são indiferenciadas para iPSCs, sendo a reprogramação epigenética um dos contribuintes para esse baixo índice, é um processo frequentemente incompleto que afeta a capacidade de reprogramação, pluripotencialidade e indiferenciação das iPSCs. Sabendo que a modulação da quantidade de OR celular é capaz de modificar as marcações epigenéticas, sugerimos então que a tensão de oxigênio utilizada para o cultivo pode modular a quantidade de OR, e consequentemente afetar as marcações epigenéticas, inclusive em genes imprinted. Objetiva-se analisar se existe diferença de OR e se as marcações epigenéticas são afetadas com o cultivo em baixa tensão de oxigênio, possivelmente também alterando a eficiência da geração de iPSCs. Utilizaremos um grupo cultivado em atmosfera de 20% O2 e outro 5% O2, realizando a caracterização e avaliação da modulação em relação à expressão de SOD2 (mitocondrial), H3K9me3 (epigenética) e H19/IGF2 (gene imprinted).