Busca avançada
Ano de início
Entree

Eficiência das usinas de cana-de-açúcar paulistas: uma abordagem considerando aspectos econômicos, sociais e ambientais utilizando a Análise Envoltória de Dados (DEA)

Processo: 18/16399-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia - Economias Agrária e dos Recursos Naturais
Pesquisador responsável:Ana Elisa Périco
Beneficiário:Gabriel Malta Campos Dotta e Silva
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Setor sucroenergético   Usinas   Cana-de-açúcar   Análise por envoltória de dados

Resumo

O Brasil possui, desde tempos coloniais, certa aptidão para o plantio da cana-de-açúcar. Segundo dados do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (2018), a produção brasileira totalizou 662.473.271 toneladas na safra de 2016/2017, dos quais 76% são destinados para exportação de açúcar e 94% para o consumo interno de etanol, seja na forma anidro (adicionada à gasolina) ou hidratado (etanol combustível). O estado de São Paulo é responsável por cerca de 60% do cultivo de cana-de-açúcar. Ademais, houve um crescimento de 109% de área plantada entre o período de 2000 a 2015 no país, com o estado de São Paulo marcando um crescimento de 124% nas terras plantadas da cultura, no mesmo período. Nesse contexto, o objetivo dessa pesquisa é analisar a eficiência das usinas de cana-de-açúcar do estado de São Paulo, no período de 2007 a 2017, por meio da Análise Envoltória de Dados, sob as óticas econômica, social e ambiental, gerando modelos de eficiência robustos e completos. A indústria sucroenergética é de suma importância para a economia brasileira. Na safra de 2013/2014, o Produto Interno Bruto (PIB) do setor foi cerca de 2% do PIB nacional, gerando 1,2 milhões de empregos diretos. E o futuro da indústria é otimista, em virtude da expansão da fronteira produtiva, uso de novas tecnologias e ênfase na eficiência da produção, com destaque para a gestão atrelada ao tripé da sustentabilidade (e.g. RenovaBio). Ademais, outro importante argumento em favor do desenvolvimento dessa pesquisa está relacionado à ausência de estudos dessa natureza na literatura nacional e internacional, que se proponham a uma investigação da eficiência de forma global, contemplando aspectos econômicos, sociais e ambientais.