Busca avançada
Ano de início
Entree

Espírito e linguagem em Hegel

Processo: 18/16926-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2019
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Filosofia
Pesquisador responsável:Marco Aurélio Werle
Beneficiário:Nina Auras Vieira de Almeida
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/11004-3 - Espírito e linguagem em Hegel, BE.EP.IC
Assunto(s):Filosofia moderna   Filosofia da linguagem   Fenomenologia (filosofia)   Georg Wilhelm Friedrich Hegel   Idealismo   Linguagem   Dialética

Resumo

Desde os anos 60 do século XX, vem se recuperando cada vez mais a importância da linguagem no cerne do pensamento alemão entre os séculos XVIII e XIX, ligada principalmente às questões epistemológicas que assumem centralidade na filosofia moderna e culminam no idealismo alemão. Apesar deste crescente reconhecimento, raros são os estudos deste tema no interior daquele que é o sistema filosófico mais contundente do período: o sistema hegeliano. A linguagem permeia toda a obra hegeliana desde a Fenomenologia do Espírito, onde surge expressamente como o que permite a razão, até encontrar seu lugar na psicologia precisamente no entendimento, enquanto produto do Espírito Subjetivo que o eleva à objetividade e, assim, realiza a liberdade absoluta. Assim, esta pesquisa pretende analisar o lugar da linguagem no cerne do espírito e em relação à dialética, focando no terceiro volume da Enciclopédia das Ciências Filosóficas e considerando ainda o diálogo essencial que a filosofia hegeliana estabelece com a filosofia moderna.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.