Busca avançada
Ano de início
Entree

Cinética de produção de citocinas inflamatórias na coinfecção por Mycoplasma hominis e Ureaplasma urealyticum em membranas corioamnióticas: estudo in vitro

Processo: 18/17890-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Márcia Guimarães da Silva
Beneficiário:Geovanna Cristofani Cursino
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Técnicas in vitro   Mycoplasma hominis   Ureaplasma urealyticum

Resumo

A infecção da cavidade amniótica e inflamação são associadas com o parto prematuro espontâneo. Em geral, essas infecções são polibacterianas e causadas principalmente pela ascensão bacteriana do trato genital inferior. Dessa forma, a invasão microbiana da cavidade amniótica e o risco do parto prematuro está frequentemente relacionada a colonização cérvicovaginal por microrganismos como micoplasmas genitais, os quais são as principais bactérias isoladas no líquido amniótico de parto prematuro com membranas intactas e na rotura prematura de membranas pré-termo. Entretanto, o resultado adverso gestacional e sua associação com os micoplasmas genitais são inconsistentes. Para alguns autores, a moderada resposta inflamatória suscitada por esses molicutes pode se dar por intensa regulação após 24 horas de desafio das membranas ou mesmo por restrita imunogenicidade dos micoplasmas. Para contribuir com o entendimento da resposta inflamatória associada ao parto prematuro, o objetivo desse estudo é avaliar a cinética de produção de citocinas inflamatórias na coinfecção por micoplasmas genitais em membranas corioamnióticas. Material e Métodos: Para a estimulação da cultura in vitro, serão coletadas 10 membranas corioamnióticas de gestantes em cesárea eletiva de termo (e 37 semanas de gestação), na ausência de trabalho de parto e/ou rotura prematura de membranas. As culturas de membranas corioamnióticas serão estimuladas com 10a6 Unidade Formadora de Colônia (UFC) de suspensão bacteriana inativada pelo calor diluída em meio de cultura de tecidos com Ureaplasma urealyticum (UU) e Mycoplasma hominis (MH) isolados ou em combinação. Amostras de membranas corioamnióticas sem estímulo bacteriano serão usadas como controle negativo, as quais serão incubadas apenas com o meio de cultura sem presença bacteriana, e como controle positivo será utilizado o lipopolissacarídeo (LPS). Para a avaliação da cinética de produção das citocinas frente a infecção por micoplasmas, para cada tratamento serão coletados e armazenados a -80ºC os sobrenadantes nos seguintes momentos: 6 horas, 12 horas, 18 horas, 24 horas e 30 horas. Os sobrenadantes obtidos das culturas de membranas corioamnióticas serão avaliados por ELISA para as seguintes citocinas: IL-1beta, IL-6, IL-8 e TNF-alfa. A análise estatística será realizada de acordo com os pressupostos determinados pelos resultados e o nível de significância adotado será de 5%.