Busca avançada
Ano de início
Entree

Variação nas estimativas do tamanho populacional de cães e gatos domiciliados na cidade de São Paulo

Processo: 18/20707-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de dezembro de 2018
Vigência (Término): 30 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Oswaldo Santos Baquero
Beneficiário:Dafne Fontoura de Lima
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Zoonoses   Gatos   Cães   Amostragem   Controle populacional   Coleta de dados   Técnicas de estimativa   Análise demográfica   São Paulo (SP)

Resumo

As estimativas do tamanho populacional de cães e gatos servem para planejar, avaliar e monitorar ações de manejo populacional e controle de doenças. Tais ações são benéficas para a saúde animal e humana. Em 2008, as estimativas do total de cães e gatos no município de São Paulo foram iguais a 2.507.401 e 562.965, respectivamente. Em 2015, essas estimativas foram iguais a 1.874.601 e 810.170, respectivamente. A magnitude das diferenças entre as estimativas de 2008 e 2015 representa uma mudança demográfica drástica, que demanda realocação de esforços de controle e prevenção doenças, e de manejo populacional. Entretanto, devemos considerar que os métodos de estimação de parâmetros populacionais são propensos à introdução de vieses, e esses vieses podem nos levar a conclusões e intervenções errôneas. O objetivo principal do presente trabalho é explicar as possíveis razões da discrepância entre essas estimativas, avaliando tanto a possibilidade de que algum dos estudos tenha incorporado vieses, assim como a plausibilidade de uma mudança demográfica tão drástica. Para tanto, as estimativas do 2008 serão analisadas com base na consistência entre os resultados publicados e os dados censitários disponibilizados pelo IBGE usados na pesquisa. Os dados das estimativas do 2015 estão disponíveis e serão usados para recalcular as estimativas e seus intervalos desconfiança. Os dados do 2015 serão aproveitados para calcular outros parâmetros além do total da população, e para construir pirâmides populacionais condicionadas no sexo, a idade, e o status reprodutivo. A discussão dos resultados será complementada pela consideração da plausibilidade demográfica das diferenças encontradas, considerando o ano da coleta dos dados e a população de estudo (abrangência da amostra).