Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do comportamento eletroquímico do compósito montmorilonita-8-hidroxiquinolina na determinação de íons metálicos potencialmente tóxicos em águas

Processo: 18/19921-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Fernando Luis Fertonani
Beneficiário:Thomas Amaral Brito
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Eletroanalítica   Eletroquímica   Eletrodos quimicamente modificados   Argilas organofílicas   Íons metálicos   Análise térmica   Voltametria cíclica   Microscopia de contraste de fase

Resumo

As atividades antrópicas e o aumento populacional acarretam danos ao ambiente, principalmente nas fontes de águas que vêm recebendo despejos contendo poluentes não biodegradáveis e potencialmente tóxicos como, íons metálicos, que é a problemática na qual o presente projeto está inserido. Os argilominerais são potencialmente retentores desses íons e têm sido objeto de estudo por apresentarem viabilidade técnico-econômica decorrente de sua potencialidade no que se refere à fenômenos de adsorção e de reutilização. Neste sentido, o presente projeto tem como objetivo avaliar o comportamento eletroquímico e eletroanalítico de sistemas micro estruturados modificados empregando o compósito argila montmorilonita-8-hidroxiquinolina (SWy-1:8-HQ) como agente modificador de eletrodos de disco de platina, considerando a sua capacidade em complexar um considerável número de íons metálicos (Mn+). Inicialmente é proposto a caracterização físico-química e de superfície dos compósitos binários (SWy-1:8-HQ) e ternários (SWy-1:8-HQ-Mn+) por meio dos estudos em suspensão aquosa utilizando as técnicas Uv-vis e em estado sólido: análise térmica (TG-DTA, DSC), XRD, MEV, microscopia ótica e FT-IR. A caracterização do ponto de vista eletroquímico será realizada por meio da técnica de voltametria cíclica, iniciando-se pela avaliação do efeito do número de deposições do compósito binário sobre o perfil voltamétrico do eletrodo de disco de platina, seguido de estudo da resposta eletroquímica e estabilidade mecânica do filme (SWy-1:8-HQ) depositado no eletrodo. Posteriormente será realizado o estudo do comportamento eletroquímico do eletrodo modificado em presença dos íons metálicos potencialmente tóxicos Mn+ = Ni(II) e Co(II), entre outros. O desenvolvimento da aplicação eletroanalítica do eletrodo modificado na quantificação dos íons Mn+ é proposto juntamente à abordagem metrológica, incluindo: a validação dos procedimentos analíticos, obtenção dos parâmetros de desempenho como limites de detecção e quantificação, faixa de trabalho, linearidade, eliminação pontos aberrantes (outliers), precisão em condições de repetibilidade e precisão intermediária, levantamento das fontes e cálculo de incerteza para os resultados.