Busca avançada
Ano de início
Entree

Antecipação da adubação nitrogenada na cultura do arroz de terras altas e seu efeito na disponibilidade e formas de N no solo

Processo: 18/23625-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Carlos Alexandre Costa Crusciol
Beneficiário:Fábio Nogueira da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Fertilizantes nitrogenados   Nitrogênio   Manejo do solo   Plantio   Arroz   Gramíneas forrageiras   Delineamento experimental

Resumo

O arroz é um dos principais cereais consumidos no mundo, e neste cenário o cultivo de terras altas tem ganhado destaque pela baixa demanda de recursos hídricos para sua produção. Por se tratar de cultivos menos produtivos, a redução de custos é necessária para que os produtores se mantenham competitivos no mercado. Para tanto, a tendência tem sido a otimização das operações na propriedade, sendo uma possibilidade a antecipação da adubação nitrogenada na planta de cobertura ou na palhada em pré-plantio. Por isso, o presente trabalho objetivará avaliar a viabilidade técnica da aplicação antecipada do fertilizante nitrogenado para a cultura de arroz de terras altas sob plantio direto em sucessão a gramíneas forrageiras. O delineamento experimental será o de blocos casualizados, com quatro repetições, e os tratamentos dispostos em esquema fatorial 4 x 2, sendo quatro manejos da adubação nitrogenada (sem adição de nitrogênio (0 kg ha-1) (T); com adubação nitrogenada convencional de cobertura (C), com adubação nitrogenada antecipada na forrageira 10 a 5 dias antes da dessecação (A1) e com adubação nitrogenada antecipada na palhada da forrageira já dessecada 5 a 1 dia antes da semeadura do arroz (A2)) e duas forrageiras (áreas previamente ocupadas por Urochloa brizantha cv. Marandu ou Urochloa ruziziensis). Nos tratamentos, excetuando-se a testemunha (T), serão aplicados 30 kg ha-1 na semeadura e 90 kg ha-1 nos respectivos manejos. Neste sentido, o projeto avaliará 1) o desempenho produtivo e as características biométricas do arroz de terras altas, 2) a produção, a persistência e a liberação de nitrogênio da palha das forrageiras U. brizantha e U. ruziziensis, 3) as alterações nos teores de nitrogênio total, nitrato e amônio do solo ao longo do ciclo da cultura.