Busca avançada
Ano de início
Entree

Mapeamento dos agentes sociais na interface mudanças climáticas-pesca associada a comunidades-chave da costa sudeste do Brasil

Processo: 18/13978-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Pesqueiros e Engenharia de Pesca - Recursos Pesqueiros Marinhos
Pesquisador responsável:Maria de Los Angeles Gasalla
Beneficiário:Debora Cristina Ferrari Ramalho
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Políticas públicas   Pesca   Vulnerabilidade   Mudança climática

Resumo

Os oceanos são essenciais para a vida no planeta devido aos diversos serviços ecossistêmicos prestados por eles, e as alterações climáticas desencadeiam uma cascata de alterações físicas, químicas e biológicas, deixando os sistemas ambientais e sociais vulneráveis. Assim, as comunidades pesqueiras que dependem desses recursos para sua subsistência, são afetadas pelas mudanças climáticas que juntamente com outros fatores (diminuição dos estoques pesqueiros, desigualdade no acesso aos recursos e restrições ambientais por políticas de conservação ambiental) se encontram em alto grau de vulnerabilidade. No Brasil, onde a pesca de pequena escala marinha é uma prática presente desde a colonização, há o agravante de ser um hotspot, ou seja, a região está sofrendo com o aquecimento superficial do oceano em taxas superiores de outras regiões. Dessa forma, as políticas públicas associadas às mudanças climáticas, biodiversidade e recursos marinhos constituem uma ferramenta essencial a mitigação e adaptação dos impactos. Pensando nisso, esse projeto tem como objetivo fazer um mapeamento dos atores governamentais, sociais, organizações não-governamentais, associações e conselhos ambientais regionais, relacionados a oito comunidades pesqueiras da costa Sudeste do Brasil. Para isso, será realizado um levantamento dos documentos formais (tais como plano de manejo das áreas protegidas, políticas e planos nacionais e leis) e informais (atas de reuniões de comitês, ministérios e páginas web, por exemplo) que abrangem as questões dos impactos das mudanças climáticas na pesca de pequena escala. Após uma revisão sistemática dessa documentação, é proposto uma análise de rede com os dados obtidos a fim de possibilitar uma integração entre os fatores ambientais, os atores sociais e as políticas públicas. Palavras-chave: mudanças climáticas, vulnerabilidade, comunidades costeiras, políticas públicas, pesca de pequena escala.