Busca avançada
Ano de início
Entree

Suco de maracujá com edulcorantes: diferenciação da percepção sensorial entre consumidores habituais (diabéticos e não diabéticos) e não habituais

Processo: 18/18915-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Tecnologia de Alimentos
Pesquisador responsável:Alline Artigiani Lima Tribst
Beneficiário:Alice Raissa Honorio
Instituição-sede: Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação (NEPA). Reitoria. Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Análise sensorial   Edulcorante

Resumo

O consumo de açúcares apresenta relação positiva com o crescente aumento de doenças crônicas não transmissíveis, como diabetes e doenças cardiovasculares. Por isso, a Organização Mundial de Saúde vem fortemente recomendando a redução da ingestão deste tipo de nutriente. Uma das estratégias para alcançar tal meta é a substituição parcial ou total dos açúcares adicionados nos alimentos (caseiros ou industrializados) por edulcorantes não nutritivos, de forma a manter nos produtos o dulçor desejado pelos consumidores. Resultados de pesquisas recentes, entretanto, fazem um alerta com relação ao consumo exacerbado destas substâncias, que pode levar a um quadro psicobiológico ambíguo com aumento de apetite e, por consequência, maior consumo calórico, entre outros distúrbios. Além disso, resultados obtidos com testes em animais mostram que o consumo contínuo de edulcorantes reduz a percepção sensorial do gosto doce. Considerando este cenário, este trabalho visa avaliar se ocorre alteração da percepção sensorial de um produto (suco de maracujá) adicionado de edulcorante em função de consumo prolongado destas substâncias, comparando-se os resultados obtidos entre consumidores habituais e não habituais de edulcorantes. Tais dados podem ser posteriormente utilizados para promover ações governamentais que objetivem melhor regulamentação do uso de edulcorantes não nutritivos.