Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização molecular de Plasmopara viticola e Phakopsora meliosmae-myrianthae com diferentes níveis de sensibilidade a fungicidas QoI e DMI no Brasil

Processo: 18/25596-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Lilian Amorim
Beneficiário:Ricardo Feliciano dos Santos
Supervisor no Exterior: Bartholomeus Antonius Fraaije
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Local de pesquisa : Rothamsted Research, Inglaterra  
Vinculado à bolsa:17/21412-6 - Estrutura populacional e sensibilidade de Plasmopara viticola e Phakopsora euvitis a fungicidas no Brasil, BP.PD
Assunto(s):Mutação   Míldio   Fitopatologia   Controle químico

Resumo

O controle de doenças da videira, incluindo o míldio (Plasmopara viticola) e a ferrugem (Phakopsora meliosmae-myrianthae) tem sido realizado por meio de aplicações foliares de fungicidas utilizando o sistema de calendário fixo, nas principais regiões produtoras de uva no Brasil. Um levantamento realizado com produtores de uva de mesa do Noroeste do Estado de São Paulo mostrou que o número de aplicações de fungicidas tem sido excessivo tanto nas cultivares européias (Vitis vinifera) quanto em cultivares americanas (Vitis labrusca), com médias de 103 e 59 aplicações porsafra, respectivamente (Costa et al., 2012). Essa aplicação excessiva de fungicidas leva a um aumento dos custos de produção e riscos de seleção de organismos resistentes, comprometendo assim a eficiência do controle químico. No Brasil, há poucas informações sobre a sensibilidade desses importantes patógenos a fungicidas inibidores da quinona externa (QoIs) e demetilação (DMIs). O monitoramento da sensibilidade de isolados de P. viticola e P. meliosmae-myrianthae aos principais fungicidas uni-sítios usados no País tem sido realizado utilizando ensaios in vivo e in vitro (FAPESP 2017/21412-6), e isolados com diferentes níveis de sensibilidade foram detectados. Para melhor entender os resultados desses estudos, análises moleculares são necessárias para identificar os mecanismos relacionados a resistência a fungicidas nesses patógenos. Análises moleculares incluindo o sequenciamento dos genes cytb e cyp51, quantificação da mutação G143A no gene cytb em populações e análises de expressão do gene cyp51 serão conduzidas no instituto Rothamsted Research sob a orientação do Dr. Bart Fraaije e Dra. Nichola Hawkins. Os resultados obtidos a partir de estudos in vivo, in vitro e molecular ajudarão no desenvolvimento de um programa de manejo de resistência a fungicidas para as principais doenças da videira no Brasil.