Busca avançada
Ano de início
Entree

Fragilidade social de pacientes com doença renal crônica em hemodiálise

Processo: 18/22186-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem
Pesquisador responsável:Fabiana de Souza Orlandi
Beneficiário:Diana Gabriela Mendes dos Santos
Instituição-sede: Centro de Ciências Biológicas e da Saúde (CCBS). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Nefrologia   Insuficiência renal crônica   Diálise renal   Fragilidade   Entrevistas (psicologia)

Resumo

A fragilidade é uma síndrome clínica onde os indivíduos encontram-se em estado de vulnerabilidade aumentado, em que fatores estressantes mínimos podem levar a desfechos negativos. Apesar de existir uma concepção muito forte sobre a fragilidade do ponto de vista físico, ela não é uma síndrome exclusivamente física. A partir da criação do Modelo Integral de Fragilidade (MIF), a mesma passa a ser caracterizada como uma interação de fatores físicos, psicológicos e sociais. A fragilidade social consiste no declínio das relações sociais e do suporte social que estão diretamente ligados aos determinantes do curso de vida. O declínio desses fatores pode ter como consequência a inserção do indivíduo no ciclo de fragilidade física. Uma população que possui alta incidência e prevalência de comprometimento físico e cognitivo é a de pessoas com doença renal crônica (DRC), em sua maioria estão em tratamento hemodialítico, estando mais predispostas ao desenvolvimento precoce de fragilidade. Inexistem estudos sobre o nível de fragilidade social da população com DRC e de sua relação com a fragilidade física, entre outros aspectos. Frente ao exposto, esse estudo tem como objetivo geral avaliar a fragilidade social e sua relação com a fragilidade física em pacientes com DRC em hemodiálise. Essa pesquisa trata-se de um estudo correlacional, transversal, com abordagem quantitativa, que será realizado em duas unidades de terapia renal substitutiva do interior do Estado de São Paulo. O tamanho da amostra será definido com o apoio de um estatístico. Será realizada uma entrevista individual, em local privativo das referidas unidades, após a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, com a aplicação dos seguintes instrumentos: caracterização sociodemográfica, econômica e condição de saúde, Avaliação Subjetiva de Fragilidade, Escala HALFT, Tilburg Frailty Indicator, UCLA Leoneliness Scale, Escala de Apoio Social do Medical Outcomes Study, o Patient Health Questionnaire-9 e APGAR de Família. O projeto será encaminhado ao Comitê de Ética em Pesquisa da UFSCar. Dentre os resultados esperados, almeja-se conhecer o nível e a relação entre a fragilidade social e física dos paciente com DRC em HD.