Busca avançada
Ano de início
Entree

Propondo modelo de interação entre cry1, cry2 e Vip3 de Bacillus thuringiensis no controle de Elasmopalpus lignosellus (Zeller, 1848) (Lepidoptera: Pyralidae)

Processo: 18/22847-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Janete Apparecida Desidério
Beneficiário:Maria Helena Zanetti
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Controle biológico   Bacillus thuringiensis   Lepidoptera   Cana-de-açúcar   Toxicidade   Bioensaio

Resumo

A bactéria gram-positiva Bacillus thuringiensis é encontrada no solo e produz proteínas consideradas inseticidas. O potencial biotecnológico das proteínas Cry e Vip produzidas por esta bactéria é conhecido, mas a resistência de insetos à sua ação coloca em risco o controle de insetos-praga por plantas geneticamente modificadas com esses genes. Estudos e situações já encontradas em campo demonstram a necessidade de se atrasar o avanço da resistência, inclusive para garantir a sobrevivência dessa tecnologia e seus benefícios, e nesse contexto uma das alternativas é o uso de mais de um gene na construção de plantas transgênicas. Assim o conhecimento e a busca de novos genes, com diferentes modos de ação, se mostra muito relevante para que ocorra um controle eficiente de insetos-praga com essa ferramenta, especialmente na cultura da cana-de-açúcar que é de grande valor no quadro agrícola nacional e internacional e é atacada por muitos insetos-praga, dentre eles a lagarta Elasmopalpus lignosellus. Para tanto, proteínas Cry1, Cry2 e Vip3 serão expressas em Eschericia coli e a toxicidade será verificada por meio de bioensaios com lagartas neonatas do inseto alvo. As proteínas serão purificadas, solubilizadas, ativadas com tripsina e biotiniladas. As BBMVs serão preparadas a partir dos intestinos das lagartas para realização de ensaios de competição homóloga e heteróloga. Considerando a CL50 e a CL90 será verificado quais proteínas serão as mais efetivas no controle de E. lignosellus. Os resultados obtidos poderão auxiliar na proposta de um modelo de interação entre as proteínas Cry1, Cry2 e Vip3 no controle do inseto-praga alvo do estudo.