Busca avançada
Ano de início
Entree

Treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT) em corrida: efeitos sobre capacidades aeróbia e anaeróbia, biomarcadores de estresse e respostas osteomusculares de camundongos ativos e sedentários

Processo: 18/07099-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia do Esforço
Pesquisador responsável:Fúlvia de Barros Manchado Gobatto
Beneficiário:Emanuel Elias Camolese Polisel
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira , SP, Brasil
Assunto(s):Treinamento intervalado de alta intensidade

Resumo

A intensidade do exercício tem sido considerada significante para a obtenção de sucesso físico-esportivo e o treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT) é uma das propostas de destaque na atualidade. Como consequência, estudos envolvendo a aplicação do HIIT visando, inclusive, o condicionamento físico e saúde atraíram a atenção da comunidade científica nos últimos anos, sobretudo com alguns resultados sinalizando maior gasto energético em menor tempo na sessão de treinamento se comparado a outros métodos de treino. Desse modo, o HIIT vem sendo também considerado uma alternativa eficiente para indivíduos sedentários ou mesmo obesos. Entretanto, ainda pouco se conhece sobre os efeitos a longo prazo (positivos e negativos) desse método quando aplicado a organismos mais ou menos ativos, especialmente sobre o estresse fisiológico e às adaptações em diferentes tecidos, como muscular, hepático, cardíaco e ósseo. Em estudos prévios nosso grupo observou que o espaço habitacional onde são mantidos os roedores é capaz de alterar o nível de atividade física espontânea desses animais, o que sugere ser esse um interessante modelo para simular níveis inferiores e superiores de atividade global. Objetivo: Diante disso, objetivo geral do projeto será investigar os efeitos a longo prazo do treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT) sobre as adaptações aeróbias e anaeróbias, nível de atividade física espontânea, biomarcadores de estresse, composição corporal e disponibilidade de estoques energéticos, bem como adaptações no tecido ósseo de camundongos ativos ou sedentários, de acordo com o espaço habitacional adotado. Métodos: Para tanto, camundongos C57BL/6J serão divididos em seis grupos (n=10 animais por grupo), sendo dois considerados linha de base ((Baseline grupo padrão (BL-GP) e baseline grupo amplo espaço (BL-GA), eutanasiados antes do início do treinamento)) e outros quatro grupos discriminados por serem alojados em espaço habitacional padrão (Grupo Padrão-GP) ou ampliado (Grupo Amplo-GA), tanto controle (C), como submetidos ao HIIT (treinados-T) (GP-C; GP-T; GA-C e GA-T). Inicialmente, todos os animais serão adaptados à esteira rolante e submetidos ao protocolo de velocidade crítica, que consistirá na aplicação de quatro esforços aleatórios e individualizados de corridas (intensidades 18 a 27 m/min), com registro dos tempos limites para avaliação das capacidades aeróbia e anaeróbia e individualização do treinamento. O programa de treinamento será aplicado durante 10 semanas, com a frequência de 5 sessões semanais. Cada sessão será composta por 4 séries de 3 repetições, com esforço de 30 segundos a 150% da velocidade crítica (VCrit) e recuperação ativa à 50% da VCrit pelo mesmo tempo, ocorrendo recuperação passiva de 2 minuto entre as séries, totalizando 20 minutos cada. Além disso, haverá um aquecimento de 5 minutos e volta a calma com o mesmo tempo após as sessões de treinamento. Ao longo do programa serão analisadas as respostas fisiológicas agudas e a intensidade seja reajustada com a reaplicação dos testes de VCrit. A atividade física espontânea (AFE) será monitorada diariamente, com elevada frequência de captura de sinais (200Hz). Após o programa HIIT a longo prazo serão analisadas as concentrações de corticosterona, colesterol da glândula adrenal, glicose sérica, ácidos graxos e glicogênio tecidual, bem como quantificação da AFE, capacidade aeróbia e anaeróbia, composição corporal e respostas osteomusculares. Os resultados serão apresentados em média e desvio padrão. Caso os dados apresentem normalidade e homogeneidade, será adotada a estatística paramétrica, com o teste ANOVA (two-way) para comparação dos dados. Dentre outras perspectivas, acreditamos que diferentes adaptações serão geradas pelo HIIT quando aplicado a grupos inicialmente mais ou menos ativos, aqui representados por diferentes condições de alojamento.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.