Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização proteômica do efeito de peçonha de Crotalus durissus terrificus sobre tecidos de camundongos da linhagem Swiss

Processo: 18/25087-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:Leo Kei Iwai
Beneficiário:Wellington da Silva Santos
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/17943-6 - Análise proteômica e peptidômica do efeito da peçonha de serpentes sobre linhagens celulares de câncer e tecidos cerebrais de camundongos, AP.R
Assunto(s):Proteômica   Proteoma   Venenos   Crotalus durissus terrificus   Coração   Espectrometria de massas   Modelos animais

Resumo

Substâncias tóxicas e secreções de animais como serpentes, aranhas e escorpiões têm sido utilizadas na medicina tradicional para o tratamento de diversas doenças. Apesar da dificuldade e o alto risco econômico inerente na descoberta e desenvolvimento de novas drogas a partir de produtos naturais, o desenvolvimento e avanço rápido de novas tecnologias tais como o proteoma baseado em espectrometria de massas tem permitido avançar na caracterização mais focada para a determinação de alvos moleculares chave em diversas doenças. Existem na literatura diversos trabalhos descrevendo análises e caracterizações bioquímicas e fisiológicas do efeito da peçonha de serpentes em órgãos, tecidos e células mostrando seus efeitos tóxicos, citotóxicos e indução de mudanças e desequilíbrios bioquímicos, porém, são poucos ou quase inexistentes trabalhos caracterizando o perfil proteômico do efeito da peçonha em órgãos e tecidos que visem avaliar em detalhe alvos moleculares afetados. Dessa forma, neste projeto visamos mapear o perfil comparativo proteômico de coração de camundongos tratados ou não com peçonha de Crotalus durissus terrificus a fim de detectar proteínas e/ou vias chave afetadas pela peçonha. Além disso, pretendemos analisar a histologia desse órgão inoculados com a peçonha de C. d. terrificus, de modo a produzir dados sobre os efeitos patológicos causados pela peçonha, dependendo do período que se seguiu após a inoculação. Essas análises permitirão montar um mapa morfológico e histológico espaço-temporal, após o envenenamento por peçonha de C. d. terrificus. Acreditamos que esses dados também poderão sugerir novas abordagens terapêuticas (i.e. dirigidas aos alvos proteicos inicialmente afetados pelo envenenamento) para o tratamento do envenenamento pela C. d. terrificus.