Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da adição de ácido oléico na dieta de suínos sobre o perfil da resposta imunológica e de ácidos graxos de diferentes tecidos

Processo: 18/26797-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Zootecnia - Genética e Melhoramento dos Animais Domésticos
Pesquisador responsável:Aline Silva Mello Cesar
Beneficiário:Julia Pereira Martins da Silva
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/25180-2 - Efeito da adição de ácido oléico na dieta de suínos sobre o perfil da resposta imunológica e de ácidos graxos de diferentes tecidos, AP.JP
Bolsa(s) vinculada(s):20/00238-0 - Análise sensorial de filés de peito de frango com miopatia muscular, BE.EP.IC
Assunto(s):Nutrigenômica   Qualidade da carne   Suínos   Processos biológicos   Transcriptoma   Ácidos graxos   Ácido oleico   Resposta imune   Análise de sequência de RNA

Resumo

Os lipídeos são uma classe de moléculas presentes em todos os tipos de células. Contribuem para a estrutura celular, o armazenamento de energia e várias funções biológicas, desde a regulação transcricional até os processos fisiológicos. Essas moléculas também são responsáveis pelo valor nutricional da carne, que são diretamente influenciados pela dieta animal. A carne tem alto valor nutricional e é uma importante fonte de ácidos graxos não saturados (FA), como ácido oleico (OA, C18: 1 cis 9) e ácido linoleico (LA, C18: 2 cis9, 12), o que têm efeitos benéficos na saúde humana. Estudos anteriores relataram uma importante contribuição da ingestão de OA para a saúde humana, o que pode levar a uma diminuição dos níveis de colesterol, risco de aterosclerose e ocorrência de diabetes. Além disso, OA tem efeitos protetores contra infecção viral e desenvolvimento de câncer. A carne tem um perfil de ácidos graxos de alta insaturação, e é considerada uma importante fonte de OA na nutrição humana. Nossa hipótese é que o OA incluído na dieta de terminação de suínos pode alterar o perfil transcriptômico e a resposta inflamatória em diferentes tecidos, como músculo esquelético, fígado e cérebro, afetando vários processos biológicos e consequentemente as características fenotípicas dos animais. Assim, nossos objetivos são identificar mudanças no perfil do transcriptoma e no perfil da resposta inflamatória do músculo esquelético, fígado e cérebro induzidos por uma dieta enriquecida com ácido oléico; bem como, caracterizar os processos biológicos relacionados a doenças metabólicas, reações inflamatórias e respostas imunes; avaliar as características organolépticas, físicas e sensoriais da carne; e a eficiência alimentar dos animais.