Busca avançada
Ano de início
Entree

Produtos naturais envolvidos na simbiose entre Amycolatopsis e formigas attine

Processo: 18/17502-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Orgânica
Pesquisador responsável:Mônica Tallarico Pupo
Beneficiário:Camila Fiori Pereira
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/50954-0 - Novos agentes terapêuticos obtidos de bactérias simbiontes de invertebrados brasileiros, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Simbiose   Produtos naturais   Micro-organismos

Resumo

Os fármacos de origem natural representam uma parcela significativa do número de novos medicamentos aprovados para terapia do câncer e de doenças infecciosas. Micro-organismos destacam-se na biossíntese de metabólitos secundários biologicamente ativos, uma vez que interagem constantemente no ambiente com outros seres vivos e, portanto, precisam adaptar seu metabolismo às mudanças ambientais de forma a produzir compostos que auxiliem na sua sobrevivência. Assim, a fim de garantir vantagens evolutivas, diversos organismos como plantas, insetos, e animais estabelecem relações simbiônticas com os micro-organismos. Um exemplo muito estudado deste tipo de interação é a simbiose entre as formigas da tribo Attini, o fungo cultivar (fungo alimento), o fungo patogênico e as actinobactérias. As actinobactérias estão, em geral, presentes no exoesqueleto das formigas e atuam como um mecanismo de defesa, pois produzem metabólitos secundários com atividade antimicrobiana capaz de inibir seletivamente o crescimento do fungo patogênico (Escovopsis), garantindo assim a preservação da colônia. Dentre os gêneros de actinobactérias encontrados associados a formigas, como Pseudonocardia, Streptomyces e Amycolatopsis, os trabalhos têm investigado principalmente os compostos produzidos pelos dois primeiros, explorando pouco o potencial químico de Amycolatopsis nesta associação. Contudo, estudos envolvendo Amycolatopsis isolados de outras fontes, como o solo, já mostram a diversidade de compostos que estas linhagens podem oferecer para a descoberta de novos produtos naturais bioativos. Assim, o presente projeto tem o objetivo de estudar os metabólitos produzidos pelas linhagens de Amycolatopsis sp. ICBG1013 e Amycolatopsis sp. ICBGSID1114, isoladas de formigas coletadas na região amazônica, a fim de identificar e caracterizar compostos com ação antifúngica, antibiótica e/ou antiparasitária. Trabalhos precedentes do nosso grupo de pesquisa mostram que os extratos de ambas as linhagens apresentaram uma excelente inibição frente ao parasita Leishmania donovani e, portanto, possuem potencial para produção de compostos promissores para aplicações terapêuticas.