Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da NAPDH oxidase (NOx) na disfunção miccional e alterações inflamatórias na cistite experimental

Processo: 19/00436-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 30 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Autonômica
Pesquisador responsável:Edson Antunes
Beneficiário:Mariana Gonçalves de Oliveira Taranto
Supervisor no Exterior: Warren Hill
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Harvard University, Boston, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:18/09765-3 - Disfunção miccional e prostática em ratos de meia-idade e camundongos obesos: enfoque na NADPH oxidase (NOx), BP.PD
Assunto(s):Ciclofosfamida   Urodinâmica   Inflamação   Cistite intersticial

Resumo

Espécies reativas de oxigênio (ERO) sob produção adequada regulam importantes funções fisiológicas, entre elas a proliferação e diferenciação celular, o tônus vascular, a resposta imune inata e inflamação. No entanto, em situações em que a produção de ERO excede os mecanismos antioxidantes celulares, várias doenças vasculares e não vasculares se desenvolvem, incluindo as disfunções do trato urogenital. A menor biodisponibilidade do óxido nítrico (NO) e / ou a oxidação da enzima guanilato ciclase solúvel (GCs) induzida pelo excesso de ERO contribuem para o desenvolvimento do estado hiperativo da musculatura lisa da bexiga, uretra e próstata, levando a distúrbios do trato urogenital. As principais enzimas responsáveis pela geração de ERO são NOS, monoamina oxidase, xantina oxidase e NADPH oxidase (NOX) desacopladas. A família NOX compreende sete membros e é a única enzima conhecida com a única função de produzir ERO. Três isoformas de NOX (NOX 1, 2 e 4) são as mais estudadas em modelos animais e amostras humanas relacionadas a alterações vasculares e não vasculares induzidas por ERRO. Nossos estudos anteriores mostraram níveis aumentados de ERO na bexiga de camundongos com cistite induzida por ciclofosfamida, juntamente com um comprometimento significativo da via de sinalização NO-GCs-GMPc-PKG. O pré-tratamento com o ativador GCs, BAY 58-2667, não apenas restaurou os níveis de ERO, mas também resgatou os níveis de GCs-GMPc para próximo aos dos animais controle. Neste projeto, avaliaremos por meio de ensaios in vivo e técnicas moleculares, o seguinte: i) determinar quais isoforma (s) NOX são responsáveis pela produção de ERO na bexiga de camundongos com cistite induzida por ciclofosfamida; ii) determinar se o bloqueio da produção de ROS pela inibição farmacológica de NOX afeta a via GCs-GMPc e se o estado hiperativo seria resgatado em bexigas de camundongos com cistite induzida por ciclofosfamida e iii) realizar tratamento com inibidor de NOX em camundongos com cistite e realizar ensaios funcionais in vitro e in vivo. O desenvolvimento deste estudo ajudará a entender melhor a influência da NADPH oxidase na geração de ERO, suas implicações na inflamação e disfunção miccional na cistite do rato, bem como auxiliar na seleção de uma potencial terapia farmacológica para cistite.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.