Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da bioacessibilidade in vitro do alumínio em café preparado em máquinas de alta pressão

Processo: 19/02848-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2019
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Marco Aurelio Zezzi Arruda
Beneficiário:Isabelle Pereira Iscuissati
Supervisor no Exterior: Manuel Miro-Llado
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universitat de les Illes Balears (UIB), Espanha  
Vinculado à bolsa:18/05335-4 - Avaliação da possível contaminação do café de cápsula preparado em máquinas de alta pressão por alumínio por meio das espectrometrias de emissão atômica e de massas inorgânica, BP.IC
Assunto(s):Métodos bioanalíticos   Espectrometria de massas   Alumínio   Contaminação

Resumo

O café é um dos produtos mais consumidos e apreciados do mundo. Até agora, o consumo moderado de café por indivíduos saudáveis - 3 a 5 xícaras por dia - não é contra-indicado. No entanto, os cafés de cápsulas podem ter uma quantidade expressiva de alumínio (Al) como resultado do rompimento do invólucro metálico da embalagem durante o processo de extração, uma vez que é realizada a alta pressão, por exemplo, até 19 bar para máquinas de café caseiras . O alumínio tem um papel desconhecido na biologia humana, no entanto, há evidências de que o excesso desse elemento pode estar ligado a doenças agudas e crônicas, incluindo doenças degenerativas, como Alzheimer e Parkinson. Desta forma, a avaliação da bioacessibilidade de Al da bebida ingerida, após a simulação de uma digestão gastrintestinal in vitro, é bem-vinda para determinar a quantidade de Al que pode ser liberada da matriz da amostra e, então, estimar uma possível intoxicação.