Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo retrospectivo de 10 anos em pacientes submetidos a Esfincteroplastia: prognóstico e qualidade de vida

Processo: 18/13595-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Rodrigo Ambar Pinto
Beneficiário:Lívia Lemes Prudencio
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cirurgia colorretal   Qualidade de vida   Incontinência fecal   Perfil de saúde   Prognóstico   Registros médicos   Inquéritos e questionários   Entrevistas (psicologia)   Teste de Tukey   Estudos retrospectivos

Resumo

A esfincteroplastia anal é um procedimento cirúrgico importante para pacientes com incontinência fecal. A causa mais comum é a lesão anatômicas do esfíncter anal, que não respondem suficientemente a ao manejo clínico e minimamente invasivo da continência, com o biofeedback e eletroestimulação sacral. Epidemiologicamente, tal condição é subdiagnosticada e possui maior prevalência na população do sexo feminino e com idade mais avançada. Objetivos: O estudo se justifica com o objetivo de mapear o perfil epidemiológico, comorbidades e histórico cirúrgico, bem como avaliar os resultados da esfincteroplastia anal através da análise dos sintomas de incontinência anal e da qualidade de vida dos pacientes antes e após o procedimento, no seguimento de longo prazo. Métodos: a partir do levantamento, sistematização e interpretação de dados de prontuários de pacientes portadores de incontinência anal submetidos a reconstrução esfincteriana (esfiincteroplastia) nos últimos 10 anos, associado a aplicação de questionários de sintomas e qualidade de vida. Serão avaliados retrospectivamente 65 pacientes com diagnóstico incontinência anal associada a quadro clínico compatível, submetidos a esfincteroplastia anal. Os parâmetros basais avaliados no pre-operatório serão: sexo, idase, causa da incontinência anal, número de partos vaginais em caso de causa obstétrica, comorbidades, índice de incontinência anal de Cleveland Clinic Florida (CCF), valores manométricos de esfíncter anal e ultrassonografia endoanal. No pós-operatório recente serão avaliadas as complicações clínicas ou cirúrgicas (principalmente infecciosas). No pós-operatório tardio (seguimento) serão avaliados: recidiva de sintomas de incontinência através do índice de incontinência anal de CCF, o tempo para a recidiva e a entrevista telefônica para determinar o índice de incontinência anal de CCF; o questionário de sintomas do assoalho pélvico PFBQ (Pelvic Floor Bother Questionnaire), afim de determinar distúrbios do assoalho pélvico associados; e o questionário subjetivo de satisfação, onde serão avaliados a satisfação do paciente com relação ao procedimento , se o paciente realizaria novamente o procedimento e/ou indicaria a alguém. Análise estatística: As comparações entre as variáveis serão realizadas usando o teste de Shapiro-Wilk, teste t de Student, ANOVA, teste de Turkey, Mann-Whitney, Kruskal-Wallis ou teste de Dunn. Serão analisadas curvas ROC caso sejam identificados fatores de risco. As análises de regressão logística simples e regressão múltipla serão realizadas para identificar os fatores de risco de complicações.