Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da enzima 5-lipoxigenase (5-LO) sobre o fenótipo de ossos de origem intramembranosa e endocondral: anatomia macroscópica e microscópica comparativa entre camundongos 129/Sv-WT e 129/Sv 5-LOKO

Processo: 18/19406-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Cirurgia Buco-maxilo-facial
Pesquisador responsável:Claudia Cristina Biguetti
Beneficiário:Ana Claudia Rodrigues da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Histologia   Osso e ossos   Fenótipo   Ossificação endocondral   Lipoxigenase   Araquidonato 5-lipoxigenase   Osteoclastogênese   Microscopia   Modelos animais

Resumo

Os processos de reabsorção e formação de tecido ósseo podem ser influenciados por diferentes fatores inflamatórios, dentre os quais se encontram os produtos do metabolismo do ácido araquidônico (AA). Neste contexto, os produtos do AA metabolizados pela via 5-lipoxigenase (5-LO), tais como os leucotrienos LTB4 e cistenil leucotrieno (CysLT), possuem um efeito reabsortivo, uma vez que levam ao aumento da osteoclastogênese. O presente estudo tem como objetivo analisar o papel da 5-LO sobre o fenótipo ósseo de diferentes sítios do esqueleto, abrangendo ossos de origem embriológicas intramembranosa e endocondral. A análise macro e microscópicas serão realizadas comparativamente entre camundongos 129/Sv-WT e camundongos geneticamente deficientes para a enzima 5-LO (129/Sv 5-LOKO). Sendo assim, 20 camundongos machos, em idade adulta (12 semanas), serão eutanasiados para coleta dos diferentes espécimes ósseos, sendo utilizados 10 animais para cada linhagem. Os ossos coletados (mandíbula, as maxilas, o crânio, fêmur esquerdo e a vértebra L-5) serão fixados em formalina 10%, lavados e acondicionados em álcool etílico hidratado 70° para escaneamento em microCT e posteriormente serão submetidos a processamento histológico para coloração em hematoxilina e eosina (HE) e tricromo de Goldner (TG), picrosirius red e coloração de Schmorl. Após escaneamento em microCT, a caracterização macro e microscópica dos diferentes ossos será realizada por meio de reconstruções microtomográficas tridimensionais, além de análises quantitativas por meio de parâmetros microtomográficos considerando-se o volume ósseo cortical (BV), a proporção de volume ósseo por tecido (BV/TV, %), e a microarquitetura trabecular dos espécimes (número de trabéculas [Tb.N], separação [Tb.Sp] e espessura [Tb.Th] trabeculares). Para avaliação comparativa da anatomia microscópica dos espécimes, serão utilizados parâmetros morfológicos de componentes celulares e extracelulares, por meio de cortes corados com hematoxilina e eosina (H&E) e TG, bem como picrosirius red (análise da organização da matriz colagenosa por meio de birrefringência). A quantidade de osteócitos e canalículos será analisada por meio do método de Schmorl. Ao final das análises quantitativas, os resultados serão submetidos a tratamento estatístico para análise da distribuição da normalidade, e posteriormente, testes adequados serão selecionados para análise de significância entre os grupos, considerando o valor de p<0,05.