Busca avançada
Ano de início
Entree

Corrosão-fadiga da liga AA2524-T3 considerando metal base e metal de solda: processo fricção-mistura ("FSW")

Processo: 18/25000-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica
Pesquisador responsável:Waldek Wladimir Bose Filho
Beneficiário:Gabriel Scherma de Carvalho
Instituição-sede: Escola de Engenharia de São Carlos (EESC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Engenharia de materiais   Mecânica da fratura   Ligas metálicas   Corrosão dos materiais   Microscopia eletrônica de varredura

Resumo

A crescente competitividade no mercado internacional faz com que as grandes companhias busquem alternativas para a melhoria de seus bens produzidos. No contexto aeronáutico, um dos grandes desafios encontrados pelos projetistas de aeronaves consiste na redução de peso e melhoria na resistência dos materiais, situação em que destacamos a problemática do processo de rebitagem. Tais elementos mecânicos desenvolvem ambientes suscetíveis à nucleação e à propagação de trincas por fadiga por serem locais com possíveis defeitos microestruturais e concetradores de tensões. A soldagem por fricção-mistura (Friction Stir Welding, FSW) aparece como alternativa para melhoria da resistência à fadiga pela redução dos problemas acima citados. Nesse sentido, a fim de complementar as pesquisas em relação a resistência a fadiga de solda FSW em ligas de alumínio, o presente estudo busca determinar as características a corrosão-fadiga das regiões do metal base e da solda FSW na liga AA 2524 T3 utilizada na fuselagem da asa, analisado os fatores atuantes na resistência à propagação de trinca em ar e névoa salina. Assim, será avaliada a interação da microestrutura com o meio pela observância do rastro da trinca utilizando a microscopia eletrônica de varredura (MEV) e a técnica de difração de elétrons retroespalhados, do inglês EBSD. Ainda, será realizada a observação dos micromecanismos de propagação de trinca pela análise da superfície fraturada em MEV, usando técnica de elétrons secundários, SE.