Busca avançada
Ano de início
Entree

Urbanização e mudanças climáticas: análises de impacto na Região Metropolitana de São Paulo

Processo: 18/08833-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia - Economia Regional e Urbana
Pesquisador responsável:Eduardo Amaral Haddad
Beneficiário:Karina Simone Sass
Instituição-sede: Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50848-9 - INCT 2014: INCT para Mudanças Climáticas (INCT-MC), AP.PFPMCG.TEM
Assunto(s):Urbanização   Mudança climática

Resumo

O aumento das temperaturas médias e as alterações nos padrões de umidade relativa do ar, efeitos relacionados às mudanças climáticas, devem trazer, cada vez mais, severas consequências para a economia global. Tais consequências podem ser ainda mais catastróficas em grandes centros urbanos de países em desenvolvimento, onde a urbanização não coordenada, o crescimento populacional e a falta de recursos, característicos dessas regiões, tendem a ampliar os efeitos decorrentes das mudanças climáticas. Um primeiro passo para defrontar os cenários pessimistas que as projeções climáticas apresentam para essa regiões é avaliar os canais de transmissão dos efeitos das mudanças climáticas, identificar os setores e grupos populacionais mais afetados e a partir disso, propor alternativas de políticas de adaptação e mitigação. A pesquisa aqui apresentada pretende ser uma das ferramentas que possibilite as citadas ações e será inserida no escopo de pesquisa do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Mudanças Climáticas (INCT-MC), uma das principais redes de pesquisa em mudanças climáticas no Brasil. O objetivo é a construção de um sistema de modelagem integrado com foco em recursos hídricos que mensure os impactos das mudanças climáticas aliados à urbanização. O sistema integrado é composto por um modelo econômico e um modelo hidrológico, capazes de indicar os principais efeitos macroeconômicos, setoriais e os grupos populacionais mais afetados pelos futuros aumento da temperatura média, redução da disponibilidade hídrica e crescimento não coordenado da população e das áreas urbanas. A análise se concentrará na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), devido a sua importância para o Brasil, e ao grande potencial de propagação dos impacto das mudanças climáticas associados a ela.