Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito dè um protocolo dè exercícios Pará fortalecimento da musculatura cervical Èm migranosos Èm comparação ão grupo placebo - ensaio clínico randomizado

Processo: 18/17191-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Débora Bevilaqua Grossi
Beneficiário:Mariana Tedeschi Benatto
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Cefaleia   Transtornos de enxaqueca   Eletromiografia de superfície

Resumo

Objetivo: Verificar o efeito de um programa de exercícios para os músculos cervicais na redução da frequência e intensidade das crises de cefaleia em indivíduos com migrânea em comparação ao grupo placebo. Métodos: O estudo contará com 42 participantes, de ambos os sexos, com idade entre 18 e 55 anos e diagnóstico de migrânea, feito por um neurologista experiente de acordo com a 3ª edição da Classificação Internacional de Cefaleias. Aqueles que forem incluídos no estudo passarão por uma triagem na qual serão coletados dados demográficos, antropométricos e as características da migrânea. Os voluntários receberão ainda um diário de dor, o qual preencherão por 30 dias, para que informações sobre a frequência e intensidade das crises de migrânea sejam coletadas e monitoradas. Além disso, durante a triagem, os voluntários responderão aos questionários Neck Disability Index, Migraine Disability Assessment, Tampa Scale for Kinesiophobia, Patient-specific Functional Scale e 12 item Allodynia Symptom Checklist. Após os 30 dias, os voluntários retornarão para uma avaliação cinética-funcional dos músculos cervicais, a qual consistirá da coleta de dados da amplitude de movimento da coluna cervical, do limiar de dor por pressão dos músculos craniocervicais e da atividade eletromiográfica dos músculos esternocleidomastóideo, escaleno anterior, esplênio da cabeça e trapézio superior. Os sinais eletromiográficos desses músculos serão registrados durante o teste de flexão craniocervical, teste de força muscular e endurance dos músculos cervicais. Os participantes avaliados serão então randomizados em dois grupos, grupo intervenção e grupo placebo, com 21 participantes cada. O grupo intervenção realizará um protocolo composto por exercícios de fortalecimento dos músculos flexores e extensores da coluna cervical, sendo o mesmo dividido em duas etapas. A primeira etapa terá duração de seis semanas e serão realizados exercícios de fortalecimento da musculatura profunda; por sua vez, a segunda etapa durará duas semanas e serão realizados exercícios de fortalecimento da musculatura profunda e superficial da região cervical. Em ambas as etapas os voluntários serão supervisionados e orientados por um fisioterapeuta experiente em sessões semanais com duração aproximada de 20 minutos. Os voluntários receberão uma cartilha ilustrativa contendo os exercícios do protocolo e alongamentos cervicais e serão instruídos a realizá-los duas vezes ao dia em casa. Em relação ao grupo placebo, os participantes receberão a aplicação de ultrassom terapêutico, o qual estará desligado, na porção média do trapézio superior, bilateralmente por aproximadamente 9 minutos cada, durante oito semanas. Assim como no grupo intervenção, os participantes terão acompanhamento em sessões semanais com duração de aproximadamente 20 minutos. O grupo placebo receberá uma cartilha ilustrativa contendo apenas os alongamentos cervicais e os voluntários serão orientados a realizá-los uma vez ao dia. Para ambos os grupos, ao fim das oito semanas de tratamento, os voluntários entregarão os diários de dor para anotação sobre a frequência e intensidade das crises de migrânea. Será realizado ainda o follow up por meio de ligações telefônicas após um, dois e três meses do término das sessões, em ambos os grupos, para monitorização da frequência e intensidade das crises de cefaleia. Em relação aos desfechos secundários, ao completar-se seis semanas de tratamento, ambos os grupos, serão reavaliados para a coletada de dados eletromiográficos durante o teste de flexão craniocervical e aplicação do questionário de percepção global de mudança. E por fim, após as oito semanas de tratamento, todos os participantes passarão pela avaliação final que contemplará todos os itens da avaliação inicial. Os voluntários do grupo placebo poderão, caso tenham interesse, realizar o protocolo de exercícios após a finalização do follow up.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BENATTO, MARIANA TEDESCHI; FLORENCIO, LIDIANE LIMA; BRAGATTO, MARCELA; DACH, FABIOLA; FERNANDEZ-DE-LAS-PENAS, CESAR; BEVILAQUA-GROSSI, DEBORA. Neck-specific strengthening exercise compared with sham ultrasound when added to home-stretching exercise in patients with migraine: study protocol of a two-armed, parallel-groups randomized controlled trial. CHIROPRACTIC & MANUAL THERAPIES, v. 28, n. 1 MAY 19 2020. Citações Web of Science: 0.
BENATTO, MARIANA TEDESCHI; LIMA FLORENCIO, LIDIANE; BRAGATTO, MARCELA MENDES; LODOVICHI, SAMUEL STRACERI; DACH, FABIOLA; BEVILAQUA-GROSSI, DEBORA. Extensor/flexor ratio of neck muscle strength and electromyographic activity of individuals with migraine: a cross-sectional study. EUROPEAN SPINE JOURNAL, v. 28, n. 10, p. 2311-2318, OCT 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.