Busca avançada
Ano de início
Entree

Descrição de mésons leves com as Equações de Schwinger-Dyson da cromodinâmica quântica

Processo: 18/17643-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Física - Física Nuclear
Pesquisador responsável:Gastão Inácio Krein
Beneficiário:Luis Albino Fernandez Rangel
Instituição-sede: Instituto de Física Teórica (IFT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São Paulo. São Paulo, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/01343-7 - ICTP Instituto Sul-Americano para Física Fundamental: um centro regional para física teórica, AP.TEM
Assunto(s):Física de hádrons   Cromodinâmica quântica

Resumo

Um dos maiores desafios contemporâneos no estudo da matéria fortemente interagente dentro do Modelo Padrão da Física de Partículas é o entendimento dos mecanismos que estão por detrás do confinamento dos quarks e gluons e a formação dos hadrons. As equações de Schwinger-Dyson da cromodinâmica quântica (QCD) fornecem uma abordagem não perturbativa, covariante de Poincaré para investigar tanto o comportamento infravermelho quanto ultravioleta das funções de Green de n-pontos de quarks e gluons. Elas são os ingredientes básicos da descrição da estrutura dos hadrons através de equações de estado ligado covariantes: as equações de Bethe-Salpeter para mesons e de Faddeev para barions. Elas compreendem um conjunto de equações acopladas que, por motivos práticos, um esquema de truncamento que preserve simetrias locais e globais da QCD precisa ser especificado. No presente projeto pretendemos investigar mesons leves e leve-pesados implementando dois esquemas de truncamentos: 1) desacoplamento da equação de gap equation das equações de Schwinger-Dyson para funções de Green de ordens mais altas introduzindo um ansatz para o vertice quark-gluon de 3-points, que satisfaz as identidades as identidades de Slavnov-Taylor e de Takahashi transversas, e um ansatz para o propagador do gluon e 2) a Teoria de Perturbação Vestida, a qual permite calcular de maneira perturbativa funções de Green como uma série de potências empregando propagadores de quark e gluon vestidos.