Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudos farmacológicos de dispositivos cirúrgicos avançados baseados em compósitos formandos por hidróxidos duplos lamelares e polímeros

Processo: 18/22782-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Vigência (Início): 03 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 02 de julho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Inorgânica
Pesquisador responsável:Vera Regina Leopoldo Constantino
Beneficiário:Mariana Pires Figueiredo
Supervisor no Exterior: Cesar Viseras Iborra
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Universidad de Granada (UGR), Espanha  
Vinculado à bolsa:16/13862-9 - Concepção e desenvolvimento de nanocarregadores de fármacos base de hidróxidos duplos lamelares, BP.DD
Assunto(s):Farmacologia   Naproxeno   Materiais compósitos poliméricos

Resumo

Hidróxidos Duplos Lamelares (HDLs) baseados em Fe3+ compreendem uma classe de materiais que despertam grande interesse para aplicação na área de liberação modificada de fármacos. HDLs são matrizes interessantes para compor dispositivos cirúrgicos poliméricos (DCP), tais como fios de sutura, filmes implantáveis e curativos dérmicos, por possibilitarem melhorar propriedades mecânicas do polímeros, por auxiliarem a recuperação tecidual e por promoverem a liberação prolongada de espécies bioativas, como agentes antimicrobianos e analgésicos, evitando infecções pós-cirúrgicas, resultando em uma cicatrização rápida, com menos dor e de alta qualidade.A primeira etapa do projeto FAPESP intitulado Concepção e Desenvolvimento de Nanocarregadores de Fármacos Baseados em Hidróxidos Duplos Lamelares (2016/13862-9) consiste na obtenção de HDLs de composição Mg2Fe1-xAlx e Zn2Fe1-xAlx (com x igual a 0; 0,25; 0,50; 0,75 e 1) intercalados com ânions Cl- (controle), NAP (molécula modelo) e ABI. Os materiais já foram sintetizados e a caracterização das amostras indicou que os HDLs foram obtidos e foram capazes de encapsular quantidades satisfatórias dos ânions orgânicos. Durante a segunda etapa do projeto, as composições preparadas mais promissoras foram escolhidas para comporem compósitos poliméricos na forma de filmes, obtidos por casting, cuja biocompatibilidade dos polímeros (PLGA e PEBA) foi previamente atestada a partir de implantes intramusculares in vivo em ratos. Filmes poliméricos contendo os sais NaNAP e NaABI e compósitos formados com os HDLsMg2Fe0,5Al0,5e Zn2Fe0,5Al0,5, intercalados com ânions Cl-, NAP e ABI estão sendo caracterizados. Os filmes poliméricos apresentaram boa resistência ao manuseio. Todos os filmes contendo os HDLs compostos por cátions Mg2+ apresentam distribuição homogênea das partículas. Os resultados obtidos até o então nos encorajaram a avançar a pesquisa em torno dos HDLs baseados em Fe3+ e os respectivos compósitos. Para tanto, tem-se a intenção de dividir a duração máxima da Bolsa de Estágio de Pesquisa no Exterior (BEPE) concedida pela FAPESP em dois estágios de 6 meses de duração cada. O primeiro estágio, a ser realizado na França (Processo FAPESP 2018/22726-7), tem como objetivo a preparação e a caracterização de dois tipos de Dispositivos Cirúrgicos Avançados (DCA) preparados por eletrofiação: fios de sutura e filmes, implantáveis ou curativo, capazes de promover a liberação prolongada das espécies bioativas NAP e ABI intercaladas nos HDLs. Os DCAs serão desenvolvidos para prevenir infecções no local da cirurgia, bem como para possibilitar a analgesia local, através da liberação dos ânions ABI e NAP, respectivamente. Também será avaliado o possível efeito sinérgico da presença dos HDLs intercalados com ambas as espécies nos compósitos. O segundo estágio, conteúdo do presente projeto, visa avançar a pesquisa dos dispositivos cirúrgicos já preparados no Brasil e dos materiais a serem preparados na França por meio da avaliação do desempenho farmacológica dos mesmos. Testes de dissolução in vitro serão realizados empregando células de difusão de Franz. Além disso, será avaliada a citotoxicidade, a proliferação e a migração decelulares simulando o local da administração dos dispositivos, avaliando a capacidade dos DCA em auxiliar o processo de cicatrização.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.