Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise 3D da fusão AGK-BRAF em cortes histológicos parafinados de carcinomas da tiroide pediátricos e imagem de high-throughput para analisar o fenótipo de células transformadas com AGK-BRAF

Processo: 18/26395-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 09 de junho de 2019
Vigência (Término): 08 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Janete Maria Cerutti
Beneficiário:Luiza de Mello Oliveira Sisdelli
Supervisor no Exterior: Sabine Mai
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Manitoba, Canadá  
Vinculado à bolsa:18/09911-0 - AGK-BRAF no carcinoma papilífero da tiroide pediátrico: investigação do mecanismo associado alta taxa de recorrência e análise funcional, BP.DR
Assunto(s):Genética do câncer   Neoplasias da glândula tireoide

Resumo

No carcinoma papilífero da tiroide (CPT), a mutação BRAF V600E é a alteração mais prevalente em adultos (40%). Por outro lado, no CPT pediátrico (d 18 anos), a mutação BRAF V600E é rara e as fusões envolvendo BRAF foram inicialmente identificadas em CPTs expostos à radiação. Ao contrário da mutação V600E, a fusão AGK-BRAF é raramente identificada em CPTs adultos. Nosso grupo mostrou, pela primeira vez, que a fusão AGK-BRAF é prevalente em casos pediátricos de CPT. Importante, a presença de alteração genética BRAF é específica para CPT e não foi identificada em lesões benignas ou outros subtipos de tumor da tiroide. Embora o BRAF V600E tenha sido associado a um pior prognóstico em adultos com CPT, pouco se sabe sobre o papel das alterações de BRAF em CPTs pediátricos. Este projeto visa aumentar nosso conhecimento sobre o papel da fusão AGK-BRAF, investigando os possíveis mecanismos associados à sua alta prevalência e pior prognóstico na população pediátrica. Para avaliar o potencial mecanismo associado à alta prevalência de AGK-BRAF, investigaremos a distância entre esses dois genes e como eles estão dispostos dentro do território cromossômico (TC) no núcleo normal do tecido tiroidiano, em populações pediátricas e adultas, utilizando o Técnica de DNA 3D-FISH. Além disso, a fim de compreender o papel da fusão AGK-BRAF na patogênese e no fenótipo celular do tumor da tiroide, uma linhagem celular tiroidiana normal será transfectada com plasmídeo contendo o rearranjo AGK-BRAF e, usando Microscopia de Iluminação Estruturada 3D (3D-SIM), compararemos com os efeitos do núcleo causados pelas alterações RET/PTC1, RET/PTC3, ETV6-NTRK3 e BRAF V600E, também identificadas em tumores pediátricos de tireoide, e tipo selvagem BRAF. Assim, os resultados deste projeto ajudarão a entender os mecanismos e as conseqüências do rearranjo AGK-BRAF.