Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil global de proteínas da próstata ventral de ratos mais velhos submetidos a restrição proteica materna associados com o consumo açúcar pós-natal

Processo: 19/00690-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Luis Antonio Justulin Junior
Beneficiário:Ketlin Thassiani Colombelli
Supervisor no Exterior: Thomas Kislinger
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Toronto (U of T), Canadá  
Vinculado à bolsa:17/14690-0 - Efeitos da restrição proteica perinatal associado ao consumo do açúcar sobre o metabolismo, parâmetros reprodutivos e morfofisiologia prostática na prole de ratos, BP.DR
Assunto(s):Proteômica   Próstata   Desenvolvimento fetal

Resumo

A exposição maternal à dieta de baixa proteína durante a vida intrauterina e pós-natal causa doenças crônicas, tais como obesidade, diabetes e alguns tipos de canceres. Está condição é chamada de programação fetal (PF), cujo o aumento tem sido relacionado principalmente a vida sedentária e ao consumo de comida calórica, fornecida principalmente por gorduras saturadas, carboidratos e açúcares de adição. O aumento do consumo de açúcar é principalmente relacionado ao aumento da ingestão de comidas açucaradas e bebidas. Nosso grupo de pesquisa demonstrou que a dieta de baixa proteína está associada com alterações da morfogênese da próstata na prole e aumento da incidência de doenças prostáticas com o envelhecimento. Contudo, os mecanismos moleculares envolvidos nestas alterações ainda não são muito conhecidos. O nosso objetivo é analisar as potenciais mudanças na expressão global de proteína causadas pela dieta de baixa proteína seguida pelo consumo de açúcar na prole envelhecida. Ratas Sprague Dawley prenhas foram divididas em dois grupos: Grupo Controle (CTR. N=10) que recebeu dieta controle (17% de proteína) durante o período de gestação e lactação; Grupo de restrição proteica gestacional e lactacional (RPGL, N=10) alimentados com dieta de baixa proteína (6% proteína) nos períodos de gestação e lactação. No desmame, os ratos machos foram divididos em 4 grupos: Controle (CTR): ratos receberam água filtrada; Controle+açúcar (CTR+AÇÚ): ratos receberam solução de açúcar a 10% diluída em água filtrada; Restrição Proteica Gestacional e Lactacional (RPGL): ratos receberam água filtrada; Restrição Proteica Gestacional e Lactacional+açúcar (RPGL+AÇÚ): ratos receberam solução de açúcar diluída a 10% em água filtrada. A solução de açúcar foi oferecida do desmame até o dia pós-natal (DPN) 90. Os animais foram eutanasiados no DPN 540, as próstatas ventrais (PV) foram coletadas e estocadas no nitrogênio líquido para análise de espectrometria de massas, que serão feitas na Universidade Toronto, Canadá em colaboração com o Dr. Thomas Kislinger. Durante os 6 meses de intercâmbio, nós iremos comparar nossos dados com dados de adenocarcinoma prostático humano disponíveis no " The Cancer Genome Atlas" database (TCGA), a fim de encontrar potenciais vias moleculares desreguladas na PV da prole que foi restrita na gestação e lactação e/ou que consumiu o açúcar na vida pós-natal que pode estar relacionada ao desenvolvimento de lesões prostáticas em animais mais velhos. Assim nós esperamos melhorar o conhecimento se o processo de envelhecimento da próstata é afetado pela RPGL e pelo consumo de açúcar, mas também identificar potenciais vias de sinalização comuns entre o envelhecimento do rato e o processo de carcinogênese prostática humana. O intercâmbio no laboratório do Professor Doutor Kislinger irá oferecer à doutoranda Ketlin Colombelli experiência nas análises de proteômicas e de bioinformática. Essas habilidades serão úteis para o avanço do seu projeto de doutorado quando ela retornar ao Brasil.