Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo dos mecanismos moleculares envolvidos na montagem do Vírus Oropouche

Processo: 19/02945-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 09 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia
Pesquisador responsável:Luis Lamberti Pinto da Silva
Beneficiário:Natalia da Silva Barbosa
Supervisor no Exterior: Colin Crump
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Cambridge, Inglaterra  
Vinculado à bolsa:16/18356-4 - Estudo dos fatores celulares envolvidos na montagem e brotamento de Orthobunyavirus utilizando o vírus Oropouche como modelo, BP.DD
Assunto(s):Virologia

Resumo

O vírus Oropouche (OROV) é um arbovírus pertencente ao gênero Orthobunyavirus e é o agente etiológico da febre do Oropouche, uma doença febril comum na América do Sul. Acredita-se que aproximadamente meio milhão de pessoas tenham sido infectadas pelo OROV nos últimos 50 anos. Apesar da sua importância na saúde pública, o ciclo replicativo deste arbovírus é pouco conhecido. É descrito na literatura que o complexo de Golgi (GC) é o principal sítio de montagem dos Orthobunyavirus. De fato, nós observamos em nosso estudo que a morfologia do GC é alterada diante a infecção do OROV. A medida que a replicação viral progride, as cisternas do Golgi tornam-se alargadas e fisicamente separadas do complexo de Golgi. Essas estruturas são denominadas ''vesículas virais''. Além disso, nós observamos que essas vesículas possuem uma semelhança na sua morfologia com os corpos multivesiculares. Sendo assim, nós investigamos o envolvimento da maquinaria ''Endosomal Sorting Complex Required for Transport'' (ESCRT) e demonstramos que este complexo é necessário para produção do OROV. Um dos fatos mais interessantes do nosso estudo foi demonstrado pela colocalização de componentes dos ESCRTs com marcadores do GC e proteínas do OROV durante a infecção viral. Nesse projeto, tentaremos obter evidência direta do recrutamento dos componentes dos ESCRTs para o GC durante a montagem do OROV. Além disso, propomos investigar se ocorre uma interação física entre as proteínas estruturais do OROV com os componentes dos ESCRTs. Esse trabalho complementaria meus estudos da graduação financiados pela FAPESP (2016/18356-4) e contribuirá para o melhor entendimento de como os Orthobunyavirus sequestram componentes celulares para atingir uma eficiente produção de partículas virais.