Busca avançada
Ano de início
Entree

Novos fósseis de uma região subexplorada da Formação Adamantina (Grupo Bauru, Cretáceo Superior) em Auriflama - SP: implicações evolutivas e paleoecológicas

Processo: 18/13118-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Paleozoologia
Pesquisador responsável:Felipe Chinaglia Montefeltro
Beneficiário:Rodrigo Castilho Freitas
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FEIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Ilha Solteira. Ilha Solteira , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/03825-3 - A origem e irradiação dos dinossauros no Gondwana (Neotriássico - Eojurássico), AP.TEM

Resumo

O presente projeto propõe o estudo de fósseis provenientes de um novo afloramentoidentificado no munícipio de Auriflama - SP, atribuído a Formação Adamantina, subunidademais extensa do Grupo Bauru (Bacia Bauru, Cretáceo Superior). A Formação Adamantina éum dos depósitos mais relevantes para o Cretáceo Superior por apresentar abundância deregistros fossilíferos, conciliada a uma ampla diversidade de táxons conhecidos. O afloramentoem questão encontra-se em uma região entre os rios São José dos Dourados e Tietê e até omomento forneceu elementos desarticulados, fragmentados e vários materiais de pequenasproporções (microvertebrados). Os materiais de microvertebrados são de especial importância,pois mesmo com alto valor taxonômico, tem sido negligenciados em coletas nesta formação.Considerando os materiais já coletados, o afloramento aponta um ótimo prospecto para queoutros táxons pouco conhecidos sejam coletados e a diversidade taxonômica seja expandidapara a Formação Adamantina, e possivelmente para o Grupo Bauru. Os fósseis desta localidadeserão preparados, identificados e comparados, reconhecendo-se as implicações paleontológicasdestes. Dentre os materiais já coletados, alguns representam táxons comumente reportados paraa Formação Adamantina , enquanto outros como Anura são escassos para o Grupo Bauru. Osfósseis serão identificados com base em informações da literatura, auxílio de especialistas evisita às coleções científicas e as implicações discutidas em diferentes escalas que abrangemdo contexto regional ao Cretáceo Superior no mundo. Os resultados obtidos serão utilizadospara a publicação de trabalhos em congressos, artigos em periódicos e divulgação científica.