Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo das barreiras de isolamento reprodutivo presentes no subcomplexo vitticeps (Hemiptera, Triatominae)

Processo: 19/01197-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
Pesquisador responsável:Kaio Cesar Chaboli Alevi
Beneficiário:João Marcos dos Santos Neves
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCFAR). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Morfologia animal   Reprodução animal   Triatominae

Resumo

Com base em dados morfológicos e na disposição geográfica, os triatomíneos foram agrupados em oito subcomplexos específicos, a saber, dimidiata, phylosoma, brasiliensis, infestans, maculata, matrogrossensis, rubrovaria e sordida. No entanto, com a disponibilidade de dados genéticos das espécies, diversos subcomplexos foram reagrupados. Triatoma melanocephala Neiva & Pinto, 1923 e T. vitticeps (Stål, 1859) foram inicialmente agrupados no subcomplexo brasiliensis. Contudo, análises cariossistemáticas demonstraram que essas espécies não deveriam ter sido agrupadas com as espécies desse subcomplexo. Recentemente, T. melanocephala e T. vitticeps foram agrupadas em um novo subcomplexo intitulado vitticeps. Essas espécies são irmãs, compartilham características morfológicas e citogenéticas e, sobretudo, existem relatos de possíveis híbridos naturais ocorrendo na natureza. Como essas espécies estão isoladas reprodutivamente de todos os triatomíneos da América do Sul (pela divergência no número de cromossomos), consideramos importante realizar cruzamentos experimentais e avaliar se existem barreiras reprodutivas instaladas entre as espécies do subcomplexo vitticeps, pois acredita-se que diversos fatores (como as atuais mudanças climáticas e ambientais provocadas pelo homem), provavelmente, influenciarão no aumento da probabilidade de hibridação para as comunidades futuras (pois estão reorganizando as assembleias de espécies e derrubando as barreiras reprodutivas físicas, temporais e comportamentais), o que pode resultar em eventos de extinção, introgressão, ou, até mesmo, especiação. Assim, o presente projeto tem como objetivo analisar se as espécies do subcomplexo vitticeps (T. vitticeps e T. melanocephala) apresentam barreiras reprodutivas pré e/ou pós-zigóticas, por meio de cruzamentos experimentais e análise dos híbridos resultantes até a segunda geração (F2), com ênfase na análise da dinâmica evolutiva dos cruzamentos experimentais (cópula interespecífica, oviposição, eclosão e desenvolvimento dos híbridos), bem como na análise da viabilidade reprodutiva dos híbridos (espermatogênese e morfologia das gônadas masculinas e femininas).

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DOS SANTOS NEVES, JOAO MARCOS; DE SOUSA, PAULO SERGIO; DE OLIVEIRA, JADER; RAVAZI, AMANDA; MADEIRA, FERNANDA FERNANDEZ; DOS REIS, YAGO VISINHO; BORTOLOZO DE OLIVEIRA, ANA BEATRIZ; PINOTTI, HELOISA; VILELA DE AZEREDO-OLIVEIRA, MARIA TERCILIA; DA ROSA, JOAO ARISTEU; CHABOLI ALEVI, KAIO CESAR. Prezygotic isolation confirms the exclusion of Triatoma melanocephala, T. vitticeps and T. tibiamaculata of the T. brasiliensis subcomplex (Hemiptera, Triatominae). INFECTION GENETICS AND EVOLUTION, v. 79, APR 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.