Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise morfométrica das crateras de impacto de Plutão

Processo: 18/22724-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Pesquisador responsável:Alvaro Penteado Crósta
Beneficiário:Caio Vidaurre Nassif Villaça
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Geoprocessamento   Morfometria   Cratera de impacto   Astrofísica do sistema solar   Meteoritos   Plutão

Resumo

Os dados referentes à morfometria de crateras de impacto são fundamentais para o entendimento da evolução do Sistema Solar e dos corpos que o compõem. Em Julho de 2015, a sonda New Horizons imageou aproximadamente 35% da superfície de Plutão. Desde então, alguns estudos preliminares referentes à morfometria das suas crateras de impacto foram realizados, sendo que o tema necessita ainda ser mais aprofundado. O escopo deste trabalho é realizar uma análise detalhada da morfometria das crateras de impacto de Plutão, utilizando imagens da missão New Horizons cujas resoluções variam entre 80 e 400 m/px. Utilizaremos dois métodos para a análise morfométrica: um baseado no MDE (Modelo Digital de Elevação) global de Plutão com resolução de 300 m/px criado a partir de pares estereoscópicos, e o outro baseado na análise de comprimento de sombra das crateras. Robbins et al. (2017) criaram um banco de dados com todas as estruturas circulares da superfície de Plutão, contendo aproximadamente 5.200estruturas contabilizadas como prováveis crateras. Pretendemos selecionar diferentes regiões (e.g. Cthulhu Regio, Smooth Terrains, Tartarus Dorsa) geomorfologicamente distintas e obter dados referentes à profundidade das crateras, diâmetro, inclinação da parede interna e externa, altura do pico central (no caso de crateras complexas) e formato da base da cratera. A superfície de Plutão será dividida de acordo com seus diferentes domínios geomorfológicos a fim de analisar possíveis diferenças na dinâmica de impacto e taxa de erosão nos mesmos. Além disso, pretendemos investigar o diâmetro de transição entre crateras simples e complexas de Plutão com mais precisão e comparar todos os dados morfométricos com outros corpos do Sistema Solar que possuem composição, tamanho e condições gravitacionais parecidos com o planeta anão. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre a bolsa::
Em Plutão, mais rochas e menos gelo 
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (4 total):
Mais itensMenos itens
0585 News (Itália): Plutone ha più rocce e meno ghiaccio di quanto si pensasse in precedenza (03/Mar/2021)
UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas: Em Plutão, mais rochas e menos gelo (02/Mar/2021)
Planeta online: Plutão tem mais rochas e menos gelo do que se pensava (02/Mar/2021)
Tudo Variado Brasil: Plutão tem mais rochas e menos gelo do que se pensava (02/Mar/2021)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
NASSIF VILLACA, CAIO VIDAURRE; CROSTA, ALVARO PENTEADO; GROHMANN, CARLOS HENRIQUE. Morphometric Analysis of Pluto's Impact Craters. REMOTE SENSING, v. 13, n. 3 FEB 2021. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.