Busca avançada
Ano de início
Entree

Composição genética de raias violas do gênero Pseudobatos (Chondrichthyes, Rhinobatidae) e busca de SNPs associados à adaptação ambiental

Processo: 18/25429-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Fausto Foresti
Beneficiário:Bruno de Campos Souza
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Genética populacional   Genômica   Polimorfismo de um único nucleotídeo   Marcador molecular

Resumo

As espécies aquáticas estão entre as que mais sofrem com as rápidas alterações ambientais, as quais promovem, assim, ameaças à biodiversidade, bem como a diminuição do potencial fitness de espécies de se adaptar a futuros ambientes. Em decorrência da revolução genômica, o desenvolvimento de vários métodos de sequenciamento de nova geração (Next Generation Sequencing - NGS) transformou o campo da genômica funcional nos últimos cinco anos, permitindo identificar polimorfismos de nucleotídeos únicos (SNPs) em todo o genoma a custos relativamente modestos. Essa metodologia pode ser aplicada em qualquer espécie, nas quais é possível rastrear loci sob seleção, identificando desse modo loci outliers relacionados à base genética das características envolvidas na adaptação ambiental dos organismos. Um modelo interessante para tais estudos evolutivos é representado pelas espécies do grupo dos elasmobrânquios, mais precisamente as raias, que ocupam ambientes aquáticos com diferentes características. As espécies Pseudobatos horkelii e P. percellens são raias costeiras popularmente conhecidas no Brasil como raias viola, pertencentes à família Rhinobatidae. P. horkelii ocorre desde o Rio de Janeiro até o norte da Argentina, enquanto P. percelens tem sua distribuição desde o Golfo do México até o norte da Argentina. Entre os poucos estudos desenvolvidos com estas espécies, destacam-se os de biologia reprodutiva, dinâmica populacional, hábitos alimentares e distribuição. Embora as espécies da família Rhinobatidae não constituam o alvo principal da pesca industrial e artesanal, elas são capturadas frequentemente como fauna acompanhante ("bycatch"), o que atualmente classifica P.horkelli como "criticamente ameaçada" na Lista Vermelha da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza), enquanto P.percellens está classificada como "quase ameaçada". Diante do exposto, pode ser ressaltada a importância de rastrear marcadores ligados à adaptação ambiental e, para isso serão analisadas as espécies de raias P.horkelii e P.percellens a partir de amostras obtidas de localidades na região do Golfo do México (EUA), região norte da Venezuela, litoral dos estados do Maranhão, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul (Brasil) e na região do Mar del Plata (Argentina), totalizando 13 localidades, buscando identificar possíveis relações entre as populações com o uso de SNPs. Além de estabelecer relações filogeográficas entre as diferentes populações/espécies identificadas, verificando se os estoques do nordeste e do sudeste são isolados e determinar a existência de estrutura genética populacional, serão investigados os efeitos da pressão seletiva relacionada ao ambiente sobre as espécies.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.