Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de marcadores genéticos para identificação do sexo de Astatotilapia latifasciata

Processo: 18/25350-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Adauto Lima Cardoso
Beneficiário:João Pedro Silva Climaco
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/16661-1 - Cromossomos sexuais, cromossomos B e seus enigmas: sistemas modelo para estudos de evolução cromossômica e genômica, AP.TEM
Assunto(s):Biologia molecular   Cromossomos sexuais   Marcador molecular   Marcadores genéticos   Caracteres sexuais   Astatotilapia latifasciata   Análise citogenética   Análise in silico

Resumo

A determinação sexual atua na maior parte das espécies de peixes por meio de genes efetivos ou de um grupo de genes distribuídos em cromossomos sexuais ou autossomos. Nesse sentido, apesar da grande variedade de sistemas de determinação sexual presente nos peixes, existe ainda uma grande porcentagem de espécies nas quais os cromossomos sexuais não se encontram totalmente diferenciados, impedindo uma identificação do sexo por técnicas clássicas de citogenética, incluindo hibridização fluorescente in situ (FISH). Além disso, o próprio dimorfismo sexual, principalmente no que diz respeito a características sexuais secundárias que influenciem na interação social de indivíduos da mesma espécie, como o dicromatismo presente nas espécies de ciclídeos, pode sofrer influências externas e tornar-se praticamente inexistente, tal como ocorre entre machos que disputem por uma fêmea ou por território. Por esse motivo, não somente o cariótipo, mas também a própria morfologia externa de espécies com essas características podem ser limitantes acerca da identificação sexual. No ciclídeo africano Astatotilapia latifasciata (2n = 44; ou 2n = 44+1B; ou 2n = 44+2B) não foram encontrados cromossomos sexuais heteromórficos, fato que, em conjunto com a baixa confiabilidade do dicromatismo característico da espécie, impede uma identificação sexual válida. A partir desses dados e tendo como base outros estudos que já obtiveram sucesso na busca por marcadores moleculares para o sexo no genoma de diversas espécies de ciclídeos, o objetivo desse projeto é identificar, analisar e validar sequências de DNA sexo-específicas que permitam a identificação sexual de Astatotilapia latifasciata. Para isso, serão explorados genomas de machos e fêmeas de A. latifasciata, previamente sequenciados pela plataforma HiSeq (Illumina), utilizando métodos in silico e técnicas de biologia molecular. Espera-se que o desenvolvimento deste projeto auxilie na identificação sexual nessa espécie viabilizando a exploração do complexo mecanismo de determinação sexual em ciclídeos e várias outras questões sobre a biologia desta espécie.