Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização antigênica de proteínas de membrana de Mycoplasma agalactiae e suas funções na virulência e patogenicidade in vitro

Processo: 19/03425-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 22 de maio de 2019
Vigência (Término): 19 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Jorge Timenetsky
Beneficiário:Maysa Santos Barbosa
Supervisor no Exterior: Rohini Chopra-Dewasthaly
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Veterinary Medicine, Vienna, Áustria  
Vinculado à bolsa:16/23306-6 - Caracterização funcional e avaliação da antigenicidade e imunogenicidade de proteínas recombinantes de Mycoplasma agalactiae, BP.DR
Assunto(s):Fatores de virulência   Imunopatogênese   Agalaxia contagiosa   Lipoproteínas   Apoptose

Resumo

Agalaxia contagiosa (CA), causada principalmente por Mycoplasma agalactiae (Mag), é uma doença grave de ovinos e caprinos que tem impacto significativo na pecuária com altas morbidade e mortalidade. A CA, uma doença listada na OIE (Organização Mundial de Saúde Animal)como doença de notificação obrigatória, é distribuída em todo o mundo e sua ocorrência é provavelmente subestimada no Brasil. Nos próximos anos, à medida que o país avança rumo à excelência na saúde do rebanho, será imperativo detectar e controlar a AC em pequenos ruminantes. LPPs (lipoproteínas) são importantes antígenos de molicutes e são ancorados na membrana citoplasmática interagindo diretamente com a célula hospedeira modulando a resposta imune e influenciando a imunopatogênese da doença. Em um estudo preliminar em nosso laboratório (FAPESP 2014 / 09425-7 e CNPq 443400 / 2014-8), sequências codificadoras de DNA (CDS) da cepa de referência PG2 de M. agalactiae (número de acesso do GenBank: NC_009497.1) foram analisadas por bioinformática para avaliar a sua localização celular (extracelular, transmembrana, citoplasmática), prever estruturas secundárias e avaliar previsões de epítopos lineares e conformacionais para células B. Por fim, as proteínas MAG_0795, MAG_3125 e P40 foram expressas e purificadas a partir de um sistema heterólogo de E. coli e caracterizadas como possíveis antígenos após imunoensaios (manuscrito em preparação). Portanto, o objetivo deste estudo é caracterizar o papel de três proteínas recombinantes de membrana de M. agalactiae (MAG_0795, MAG_3125 e P40), através da modulação do perfil imunológico e apoptótico. Desta forma, conhecer as lipoproteínas e seu papel no desencadeamento de infecções tem relevância para futuros estudos sobre diagnóstico, prevenção e erradicação de doenças causadas por M. agalactiae.