Busca avançada
Ano de início
Entree

Geração de células-tronco pluripotentes induzidas equinas (eiPSC) a partir de mecanismo epissomal

Processo: 19/03242-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Fabiana Fernandes Bressan
Beneficiário:Gabriela Barbosa
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/26818-5 - Investigação de mecanismos celulares e moleculares da aquisição da toti- e pluripotência induzida in vitro - modelo translacional, AP.JP
Assunto(s):Reprogramação celular   Células-tronco pluripotentes   Fibroblastos   Equinos

Resumo

Equinos são animais de grande importância econômica e social para o homem, seja em atividades relacionadas à produção, esporte, lazer, educação e até mesmo na prática terapêutica para melhoria da saúde humana. Por ser uma espécie ligada diretamente ao esforço físico, estes animais são extremamente suscetíveis a lesões e injurias em tendões, ligamentos e ossos, e como consequência, podem acarretar fibroses teciduais resultantes do processo de cicatrização, prejudicando o desempenho desses animais e contribuindo para a reincidência das lesões. Até o momento a maioria dos tratamentos aplicados a este tipo de lesão não são totalmente eficazes, desse modo, a busca por novos métodos e opções de tratamento mostram-se extremamente necessários. Neste contexto, as células-tronco pluripotentes induzidas (induced stem cell, iPSC) representam uma ferramenta promissora tanto para a pesquisa, quanto para futuras aplicações na medicina regenerativa. Inicialmente, a indução a pluripotência era baseada em um sistema integrativo com vetores virais, porém, esse método pode produzir mutações que interferem na função celular, influenciando a tumorigenicidade. À vista disso, pesquisadores reportaram um método não integrativo de indução à pluripotência, aplicando o uso de vetores epissomais, onde as células geradas apresentam maior segurança para aplicação prática, no entanto, estudos para células de equinos ainda são escassos. Desse modo, o presente estudo tem como objetivo principal reprogramar células de fibroblastos de equinos adultos através do sistema de indução à pluripotência com um método não integrativo e avaliar a manutenção da pluripotência dessas células. As iPSC serão geradas a partir de fibroblastos já criopreservados no Laboratório de Morfofisiologia Molecular e Desenvolvimento - LMMD, com o uso de um sistema plasmidial EBNA1/OriP aperfeiçoado contendo 5 sequências de fatores de reprogramação (Oct4, Sox2, Klf4, c-Myc e Lin28). As células serão transfectadas com os vetores plasmidiais pEB-C5 e pEB-Tg por meio de nucleoporação. Após a reprogramação, as células serão morfologicamente caracterizadas, por análise de fosfatase alcalina, por imunofluorescência e será realizada também a análise da expressão dos genes por meio de técnicas de qPCR. Espera-se, ao final deste estudo, estabelecer e manter células de fibroblastos equinos reprogramadas, através de um método não integrativo. Tais resultados representarão o passo inicial para o desenvolvimento de novas metodologias a serem aplicadas na medicina regenerativa.