Busca avançada
Ano de início
Entree

Ação da venlafaxina na histofisiologia epididimária de ratos adultos

Processo: 18/25353-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Estela Sasso Cerri
Beneficiário:André Acácio Souza da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Reprodução   Morfometria   Genitália masculina   Epididimo   Cloridrato de venlafaxina   Imunofluorescência   Modelos animais

Resumo

O epidídimo é um túbulo único e altamente enovelado, sendo um dos órgãos essenciais para o sistema reprodutor masculino. As células do epitélio pseudo estratificado colunar produzem um fluido luminal altamente especializado que auxilia na manutenção, nutrição e maturação dos espermatozoides. As células claras respondem a estímulos do ambiente luminal e por acúmulo de V-ATPase na membrana apical que acarreta a secreção de prótons e auxilia na manutenção do pH luminal. Ao redor deste epitélio, por meio de contrações musculares, a camada muscular lisa auxilia no transporte desses gametas ao longo deste órgão. A venlafaxina é um antidepressivo, que inibe a recaptação de serotonina e noradrenalina e vem sendo amplamente utilizada nesse cenário onde a depressão se torna um mal cada vez mais comum. Durante o uso da venlafaxina, aproximadamente 67% dos pacientes apresentam disfunções sexuais tais como: disfunção erétil e problemas de ejaculação. É importante ressaltar também que a maioria dos casos de infertilidade masculina é, à primeira vista, sem causa definida (idiopática). Entretanto, estudos sobre o impacto da venlafaxina na estrutura e/ou função do aparelho reprodutor masculino, destacando-se o epidídimo, são inexistentes na literatura. O objetivo deste estudo é avaliar o impacto do tratamento com venlafaxina na integridade estrutural e funcional de epidídimos de ratos adultos, com ênfase nas células epiteliais e na musculatura lisa epididimária. Serão utilizados 10 animais divididos em dois grupos (n=5): Grupo Venlafaxina-35 dias (GVF35); Grupo Controle-35 dias (GC35).Os animais do grupo GVF35 receberão 30mg/Kg p.c. de cloridrato de venlafaxina por gavagem (diluído em água destilada) por 35 dias consecutivos, e os animais do GC35 receberão volume correspondente de água destilada pelo mesmo período. Após 35 dias, os epidídimos serão coletados, seccionados em 2 porções (cabeça + corpo e cauda), fixados e processados para inclusão em historesina e parafina. Nos cortes de historesina, serão analisados os diâmetros das secções do ducto epididimário (cabeça, corpo e cauda) e espessura da camada muscular lisa em ambas as regiões. Os cortes em parafina serão submetidos ao método do TUNEL, para detecção de apoptose nas células epiteliais e musculares, e a reação de imunofluorescência para avaliação da atividade da V-ATPase nas células epiteliais claras. Os resultados serão submetidos à análise estatística pelo método estatístico Student`s-t test, considerando o nível de significância de 5% (pd0.05).