Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da evolução da infecção experimental em hamster por parasitos isolados de lesão cutânea atípica e visceral humana causada por Leishmania (L.) infantum chagasi no município de Amapala, Valle, Honduras

Processo: 17/24834-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Marcia Dalastra Laurenti
Beneficiário:Gabriela Venicia Araujo Flores
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50315-0 - Leishmanioses na América Latina: uma perspectiva avançada sobre fatores imunopatogenéticos da infecção cutânea e visceral, imunomoduladores da saliva de vetores flebotomíneos e exo-antígenos imunogênicos de Leishmania (L.) infantum chagasi candidatos à vacina, AP.TEM
Assunto(s):Leishmania infantum   Leishmaniose cutânea   Leishmaniose visceral   Doenças transmissíveis   Ferimentos e lesões   Pele   Mesocricetus auratus   Honduras

Resumo

Nas Américas, em especial na América do Sul, a infecção por Leishmania (Leishmania) infantum chagasi causa manifestações subclínicas e Leishmaniose Visceral (LV), a qual quando não tratada é potencialmente fatal. Em Honduras a infecção por Leishmania. (L.) infantum chagasi causa a Leishmaniose Visceral (LV), porém também tem sido relatada a Leishmaniose Cutânea não Ulcerada ou atípica (LCNU) causada por esta espécie do parasito. Relataram-se casos de Leishmaniose Cutânea não Ulcerada ou atípica, também em outros países da região, como Costa Rica, El Salvador e Nicarágua. Em Honduras, existem áreas endêmicas bem identificadas desta variante clínica não ulcerada, localizadas nos Estados de Choluteca e Valle, assim como parte sul dos estados de Francisco Morazán, La Paz, El Paraíso, Intibucá e Lempira. Com o objetivo de conhecer melhor a patogenia da infecção causada por esta espécie do parasito nas Américas, o presente estudo tem como objetivo principal avaliar a evolução da infecção experimental em hamsters, Mesocricetus auratus, causada por Leishmania (L.) infantum chagasi isolada de indivíduos acometidos com Leishmaniose Visceral Clássica e Leishmaniose Cutânea não Ulcerada ou atípica no município de Amapala, Valle, Honduras. Hamsters serão infectados por via subcutânea e intraperitoneal com 10.000.000 formas promastigotas de Leishmania (L.) infantum chagasi em fase estacionária de crescimento em cultura. Após 30, 60 e 90 dias pós infecção (PI) os animais serão anestesiados e eutanasiados e fragmentos da pele e vísceras (baço, fígado e linfonodo) serão coletados para estudo histopatológico, determinação da carga parasitária e avaliação da expressão de citocinas. Sangue total será coletado e os soros utilizados para determinação de anticorpo anti-Leishmania; e a identificação do parasito será feita por sequenciamento total do genoma dos isolados obtidos de indivíduos com LV e LCNU. Além da identificação do parasito, visa-se determinar possíveis diferenças que possam estar relacionadas à determinação das diferentes formas clínicas. (AU)